terça-feira, 4 de outubro de 2011


As dez virgens

Em Mateus 25:1-13, encontramos a parábola das dez virgens.
Esta parábola, da continuidade a expectativa da vinda de Cristo, e, o estado de vigilância que se exige de nós.

Porém, não basta ficar esperando, é preciso lançar-se e arriscar, para a manifestação e frutificação dos dons que nós foi concedido, para o crescimento
do reino, e, para a honra e glória do Senhor Jesus (Mt. 14-30).

A bela história das dez virgens, foi extraída dos costumes relacionados ao casamento daquele tempo. Uns dizem que as virgens representam os membros
da igreja à espera de Cristo. Outros, aplicam aos judeus remanescentes na tribulação.

O tema central é: a vigilância, que se aplica aos dois grupos. Porém, a última interpretação vai de encontro ao conteúdo e do contexto.
v.1­---"Então...", coloca a parábola dentro do quadro mencionado em Mt. 24:29 e 24:40. "Reino dos céus", leia com Mt. 3:2; 13:11.

Dez virgens...saem a encontrar-se com o noivo. O casamento judeu tinha duas
etapas: 1-o noivo ia à casa da noiva buscar a prometida. 2- levava a noiva para sua casa, onde começava a festa.

A parábola não dá a entender que as virgens(plural), esperassem casar-se com o noivo. Não é um casamento polígamo. No fim da Tribulação, Cristo volta a terra (seu domínio) depois de tomará igreja por esposa no céu(seu lar durante
a Tribulação). Esta explicação é refletida no texto oriental desta passagem que, que diz: "para se encontrarem com o noivo e a noiva".
 Confira Lc. 12:35-36, "que esperam o seu senhor, quando houver de voltar das bodas".

Então, a igreja não está aqui como tal. O texto centraliza-se nas virgens que querem participar da festa do casamento, este é o remanescente judeu professo(Ap. 14:1-4).

v.3--As néscias(estúpidas). Lâmpadas. Tochas, contia um pavio e espaço para o
azeite. Não levaram azeite consigo. Azeite, geralmente símbolo do Espírito Santo nas escrituras(Zc. 4; Is. 61:1). Aqui refere-se à posse do Espírito Santo,
 na regeneração(Rm. 8:9-11, Paulo não deixa dúvidas em sua declaração; aquele que não tem o Espírito de Cristo, não pertence a Cristo).

Todas tinham a mesma aparência exterior, mas cinco não participavam do Espírito Santo, que fora concedido a Israel para que os judeus estivessem prontos para a vinda do Messias(Zc. 12:10---Deus derrama de seu Espírito sobre os judeus, que fazem orações de arrependimento, pois contemplam o Messias Absoluto, ao Senhor Jesus, que foi transpassado pelos seus pecados).

v.5--Foram tomadas de sono e adormeceram. A parábola não alia culpa a este detalhe, e sim, descreve a certeza do remanescente em esperar o noivo, e não o seu descuido; porém no caso das "loucas", era uma certeza falsa.

v.6-7--Prepararam as suas lâmpadas. Limparam os pavios, ascenderam e ajustaram as chamas. Caminhar pelas ruas do Oriente a noite, era preciso de uma tocha. Por isso as virgens se prepararam para se juntarem a procissão quando o noivo vinha se aproximando.

v.8--As nossas lâmpadas estão se apagando. As virgens tolas que não proveram azeite, viam seus pavios secos se apagarem. Ter somente um pouco de azeite não é o suficiente(25:3) Sua estupidez é demonstrada por não providenciarem nenhum azeite.

v.9--Comprai-o. Figura de linguagem. O Espírito Santo é um dom gratuito de Deus, no entanto, pode ser descrito por essa metáfora(Is.55:1--é um dom gratuito a todos os que se arrependem). Cada um deve obter seu próprio fornecimento.

v.10-12--As loucas se foram a procura de azeite, o noivo chega e a festa começa. As loucas retornam, não conseguiram azeite..., então ouvem...vos não conheço(Mt.7:23).

"Cristo Jesus rejeitará todo relacionamento com pessoas que são apenas professos".

Que não sejamos como as "loucas", que acreditavam que o pouco azeite contido na lâmpada, era o suficiente.
Que não sejamos apenas "crentes professos", mas homens e mulheres, de corações verdadeiramente arrependidos.
E, que, possamos realmente dizer, não somente com os lábios, mas com a alma, com o espírito de coração. MARANATA! Ora vem, Senhor Jesus!

Luiz Carlos Euzebio