domingo, 2 de outubro de 2011


Piratas Espirituais

Jesus é o Soberano Senhor que nos resgatou (2 Pedro 2:1). A palavra original que identifica Jesus nesse versículo é a descrição de um dono de escravos. A figura é do Senhor que nos comprou para sermos sua propriedade particular (veja 1 Pedro 2:9; 1 Coríntios 6:19-20). Embora seja um Senhor bondoso, Jesus não deixa de ser o dono de todos os verdadeiros cristãos. Ele nos comprou e cuida de nós. Devemos-lhe tudo.

Mas Pedro nos avisa: Cuidado com os piratas! São falsos profetas, pessoas que não fizeram o sacrifício que Jesus fez e que não se preocupam com o nosso bem eterno. Usam palavras fictícias para fazer comércio dos servos de Deus (2 Pedro 2:3). Diferente do Salvador que nos resgatou para o nosso bem, esses falsos mestres querem nos vender para lucro próprio. 

São motivados pela avareza e vêem as outras pessoas - suas vítimas - como meros objetos que os ajudam a alcançar seus objetivos egoístas. Porque Jesus é o nosso legítimo dono, esses comerciantes religiosos são ladrões. Roubam e vendem o que pertence ao Senhor. Nada menos são do que piratas espirituais.

A figura da escravidão aparece outra vez no mesmo capítulo. Aquele que opta pelo pecado torna-se escravo da corrupção (2 Pedro 2:19). Pode acreditar que encontrou a liberdade, não se sujeitando a nenhuma lei ou princípio moral. Mas tornou-se, de fato, escravo de um senhor mau que destrói seus servos.

Jesus comprou-nos para que lhe servíssemos e garantiu as bênçãos de sua comunhão agora e para eternidade. Falsos mestres procuram roubar os discípulos do Senhor para vendê-los ao pecado.

 E estes, uma vez vendidos, tornam-se escravos da corrupção. Mas não são vítimas inocentes. Pedro escreveu esse capítulo para alertar-nos sobre as táticas dos inimigos, para que possamos evitar suas ciladas. Deus sabe libertar os justos (2 Pedro 2:9)!

-por Dennis Allan