domingo, 26 de outubro de 2014

A CRUZ SEMPRE DEVE LEMBRAR-NOS DE QUE O PERDÃO NÃO É ALGO DE BAIXO PREÇO.


Cada um de nós tem de lidar com certas circuns­tâncias na vida que não podem ser mudadas. Talvez Pedro, o pescador, quisesse ter se apropriado da educa­ção clássica que Paulo recebeu aos pés do renomado mestre judeu Gamaliel; entretanto, ele sempre seria Pedro de Betsaida.

Por séculos, os cristãos lembraram-se de Pedro como "o homem sem instrução", mas que surpreendia os mestres da Lei que "reconheceram que ele havia estado com Jesus" Atos 4.13. 

Jesus transformou a vida de Maria Madalena, a pros­tituta, mas é provável que ela ainda quisesse apagar os erros e dores de seu passado. Ela não podia fazê-lo. Ma­ria deparou-se com a mesma escolha com a qual todos nos deparamos: Ela poderia continuar a ser uma escrava da falta de perdão, apegando-se à sua raiva e ressenti­mento para com os homens que abusaram dela e as pes­soas que a discriminaram e rejeitaram; ou poderia acei­tar o perdão de Deus, optar pelo perdão e começar uma vida de liberdade. Sabemos qual foi a escolha de Maria. E a sua?

Ela Nunca Conheceu o Poder do Perdão Houve uma mulher que brigava com um professor após outro ao longo de toda a sua vida. Isto aconteceu desde a escola primária até a oitava série, e do colégio à faculdade. Ela teve uma péssima experiência nos pri­meiros anos na escola com um professor a quem nunca foi capaz de perdoar ou esquecer. Carregou este peso com ela para sua vida adulta. Isso também acabou afetando seu relacionamento com outras pessoas do mesmo perfil e, além disso, estragou seus relacionamentos dentro e fora da escola. Ela nunca conheceu o poder do perdão.

Há muitos problemas no mundo religioso hoje. Se um pregador comete um erro, veículos de comunicação movidos por escândalos divulgam rapidamente, em manchete o ocorrido. Esses veículos não falam muita coisa sobre os outros 99% que são homens e mulheres do Es­pírito, que realizam a obra de Deus segundo a vontade dele todos os dias. Apenas falam daqueles que fracas­sam.

Você pode estar - e provavelmente ficará desa­pontado com um ministério ou um obreiro ordenado. Desiludir-se com um líder pode privá-lo de todos os seus relacionamentos com outras pessoas. O que você tem de fazer? Perdoe. Você não pode viver sob a escravidão da desilusão por toda a sua vida. Perdoe e libere poder. 

Não se Prive do Perdão Apegando-se à Falta de Perdão. Você só é perdoado quando perdoa aos outros (Mt. 6.14). Se você está decidido a não perdoar a qualquer pessoa, está se privando do próprio perdão que recebe de Deus. Per­doar aos outros não é algo que vem naturalmente; é algo que vem de modo sobrenatural.

Você já teve de "fazer algo" de mau humor? Se você é como qualquer outro ser humano na terra, o mau hu­mor é algo que aparece naturalmente em sua vida. Não precisamos fazer nada para ficarmos ressentidos.

Você alguma vez teve de dizer a si mesmo: "Sabe, ele foi in­justo comigo; por isso, vou criar caso com ele; posso levar três ou quatro dias para colocar as coisas nos ei­xos, mas vou criar um bom caso de ressentimento e fi­car de mau humor"? Não, as coisas simplesmente não acontecem desta forma.

O ressentimento surge quando nem pensamos nele; é quase que instantâneo. Perdoar, por outro lado, é algo que requer uma escolha consciente e esforço de nossa parte. Nosso trabalho, como cristãos nascidos de novo, é atentarmos para uma boa atitude, um espírito dócil e um coração puro diante de Deus e de outras pessoas. Isto é impossível, a menos que conheçamos o poder do per­dão e façamos as escolhas certas ao longo do caminho.

Muitos cristãos lidam com outro problema que é descrito na seguinte afirmação: "Não posso me perdoar por isso." Esta é uma afirmação irracional, uma vez que percebemos o que está realmente sendo dito: "Jesus, o que fizeste por mim no Calvário não foi bom o suficien­te para mim." Tendo confessado seus pecados e encon­trado Cristo no poder do Espírito Santo, você é trans­formado em uma nova criatura e o "eu culpado" morre. A partir desse momento, se você não puder perdoar a si mesmo, essa falta de perdão torna-se um insulto ao Calvário.

Se Deus lhe perdoa, quem você pensa que é para dizer que não pode perdoar a si mesmo? Você é maior e mais poderoso do que Deus? Você é mais inteligente do que Ele?

É isto que suas palavras e ações dão a entender. A Bíblia diz: "Portanto, se o Filho os libertar, vocês de fato serão livres" (Jo 8.36). Aceite o perdão de Cristo! Perdoe a si mesmo! Se o inimigo lançar-lhe algo nova­mente em rosto, apenas diga:"Sou grato a Deus por você continuar lembrando-me disto, diabo. Fui perdoado! Louvado seja o Senhor!”

Extraído do livro Fontes Secretas de Poder de T. E TENNEY e TOMMY TENNEY