sexta-feira, 16 de maio de 2014

A palavra “inclinar” em Provérbios 21:1 significa “influenciar” como afirmam os arminianos?



Por Marcelo Flávio Radunz


Como ribeiros de águas assim é o coração do rei na mão do Senhor; este, segundo o seu querer, o inclina.” (Pv 21:1)

A palavra “inclinar” em Provérbios 21:1 pode significar simplesmente “influenciar” como afirmam os arminianos?

Não, não pode. A palavra é ‘natah’ e os significados podem ser: esticar, estender, espalhar, lançar, tornar, perverter, inclinar, curvar, arcar, mas nunca meramente influenciar. O arminiano faz essa objeção porque “influenciar” pressupõe que pode haver uma resistência daquele que está sendo influenciado, mas considere essas definições da palavra. Todas elas pressupõem algo irresistível. Se Deus estica, estende, espalha, lança, torna, perverte, inclina, curva, arca o coração do rei, está implícito que é algo que Ele soberanamente faz sem qualquer resistência da parte do agente. A palavra é usada 12 vezes no livro de Provérbios e vamos analisar cada uma delas para ver seus respectivos significados.

1. A primeira vez que a palavra é usada é em Provérbios 1:24, é a palavra “estender” de “estendi a minha mão e não houve quem desse atenção”. Se isso pode ser interpretado simplesmente como influenciar, então Deus apenas influenciava a sua mão à eles, não realmente estendia.

2. Em Provérbios 2:2, quando é dito “e inclinares o teu coração ao entendimento”, a palavra traduzida com inclinar é ‘natah’. Inclinar o coração é move-lo, desvia-lo para um lado, dirigir. O autor aqui diz o que alguém deve fazer (v. 1-4) para entender o temor do Senhor e achar o conhecimento de Deus (v. 5). Inclinar o coração para o entendimento é uma das condições. Mas se isso pode significar meramente influenciar, então quer dizer que posso entender o temor do Senhor e achar o conhecimento d’Ele meramente influenciando, ou seja, apenas incentivando e induzindo meu coração sem de fato inclina-lo realmente. A interpretação arminiana também encontraria problemas aqui.

3. No versículo 5 de Provérbios 4, ‘natah’ aparece como “apartes” de “nem te apartes das palavras da minha boca”. Se apartar aqui não significa algo certo e irresistível, ou seja, que devemos fazer sem que resistamos, então a ordem é para que nós não nos apartemos das palavras de Deus de uma forma resistível, logo podemos resistir e de fato apartar das palavras de Deus, o que negaria justamente o que está sendo demandado. A interpretação arminiana não funciona aqui.

4. No versículo 20, ‘natah’ é “inclina de” “às minhas razões inclina o teu ouvido”. Mas se o arminianismo estiver certo aqui, então o que Deus pode estar dizendo é que eu devo apenas influenciar, incentivar meus ouvidos às razões de Deus. Induzi-los, e não realmente dirigir e inclina-lo.

5. Ainda no capítulo 4, versículo 27 ‘natah’ vem como “declinar” da frase “não declines nem para a direita nem para a esquerda”. Declinar é sinônimo de desviar. A ordem aqui não é para que simplesmente não nos influenciarmos pela direita ou esquerda, mas para que de fato não desviemos.

6. Dessa vez ‘natah’ aparece como inclinar. O mesmo argumento de 2:2 (2.), 4:20 (4.), 5:13 (7.) e 22:17 (12.) pode ser usado contra o arminiano.

7. Dessa vez ‘natah’ aparece como inclinar. O mesmo argumento de 2:2 (2.), 4:20 (4.), 4:27 (6.) e 22:17 (12.) pode ser usado contra o arminiano.

8. ‘Natah’ aparece como “seduziu-o” em Provérbios 7:21 (“seduziu-o com palavras persuasivas”). A palavra ‘natah’ é empregada aqui justamente para mostrar o total controle que essas mulheres têm sobre esses homens. Com o “lisonjear dos seus lábios” ela o arrasta. Para esse tipo de homem descrito no texto, a sedução dessas mulheres é algo irresistível. Eles estão tão fortemente atraídos, tão profundamente cegos por amor a essa falsa paixão, que são irresistivelmente persuadidos pela tentação. O tipo de homem aqui descrito é tão apegado a mulheres que ele não tem outra escolha senão ir atrás dela, como um boi que vai ao matadouro ou como o cervo que corre para a rede (v. 22). Um arminiano pode dizer que é possível resistir a essas mulheres. Certamente é. Mas não é possível para esses homens que Provérbios 7 descreve. Como vimos até agora, ‘natah’ carrega uma enorme força que implica em um controle irresistível; e o fato do autor usar essa palavra aqui é justamente para entendermos o poder que essas mulheres exercem sobre esses homens. Ela de fato inclina o coração deles ao seu querer. Mesmo que o arminiano consiga de algum modo provar (o que não vai acontecer) que é possível para o homem de Provérbios 7 resistir a essas mulheres, ficaremos então com 10 versículos que mostram que ‘natah’ envolve um controle irresistível e somente 1 que negue isso.

9. Desta vez, vemos a palavra vindo como “perverter” em Provérbios 17:23 , é dito que o ímpio “toma presentes em secreto para perverter as veredas da justiça”. Não. O ímpio não meramente faz isso para influenciar maldosamente as veredas da justiça. Ele de fato perverte. Leia o versículo. É o que o ímpio de fato tem a intenção de fazer, não de tentar fazer.

10. ‘Natah’ vem como “Fazer/ perder” de “fazer o justo perder a questão” (Provérbios 18:5). O versículo diz que não é bom faze-lo perder o julgamento, é mal. O que é mal não é apenas tentar influenciar o julgamento manipulando resistivelmente o juiz, mas de fato o fazer perder o julgamento.

11. Esse é o versículo que causou toda a discussão, Provérbios 21:1. Estamos analisando a palavra para ver o que ele quer dizer, portanto, obviamente não analisaremos esse.

12. Dessa vez ‘natah’ aparece como inclinar. O mesmo argumento de 2:2, 4:20 e 5:13 pode ser usado contra o arminiano.

Assim vemos que ‘natah’ nunca é usado em Provérbios para se referir a uma influência que possa ser resistida, então, a premissa de que a palavra pode querer dizer isso é falsa. Não só em Provérbios, mas provavelmente a palavra nunca é usada nenhuma vez em toda a Escritura para indicar uma influência resistível. Poderia fazer uma extensa análise de todos os versículos que contém essa palavra, mas isso requerera muito tempo e terá que ficar para outra hora. Dizer que o que está sendo dito em Provérbios 21:1 é que Deus influencia o rei, e não que exerce total controle sobre ele é negar o próprio versículo. O “a todo o seu querer” indica que é apenas a vontade de Deus que é levada em conta aqui, e que o controle sobre o rei é completo. Fora que é feito uma analogia: “Como ribeiros de águas assim é o coração do rei na mão do SENHOR, que o inclina a todo o seu querer”. Ribeiros de água são um curso de água. Será que Deus não tem total controle sobre os ribeiros de água ou ele só influencia os ribeiros mesmo? Os ribeiros não tem querer e escolha para serem influenciáveis, não faz sentido dizer isso, Deus de fato inclina os ribeiros controlando-os. Da mesma forma, é isso que está sendo dito sobre o rei também. ‘Natah’ quer dizer inclinar, mover, dirigir, desviar. São definições que indicam total controle da parte daquele que atua sem que o agente passivo possa resistir. Controlar soberanamente. É só observar inúmeras vezes que ela aparece na Escritura, a palavra carrega essa força.

***
Fonte: Pelo Calvinismo.