sexta-feira, 16 de maio de 2014

China comunista: o país mais cristão do mundo em 15 anos?


O Cristianismo está experimentando um crescimento disparado na República Popular da China — tão rápido que o país comunista de 1,35 bilhão de habitantes será o país mais cristão do mundo em 15 anos, de acordo com a reportagem “China on course to become ‘world’s most Christian nation’ within 15 years” (China no curso para se tornar a “nação mais cristã do mundo” dentro de 15 anos) do jornal inglês The Telegraph.

A China é oficialmente considerada ateísta, mas um número cada vez maior de chineses está buscando respostas no Cristianismo — querendo conhecer a vida e os ensinamentos de Jesus Cristo.
Claro que quando se fala em China e Cristianismo, o primeiro pensamento durante décadas sempre foram as chamadas igrejas subterrâneas — cristãos que se reuniam em esconderijos para adorar Jesus Cristo por um medo justificado de perseguição, prisão, tortura e morte. Mas o quadro está mudando. No domingo de Páscoa passado, uma mega-igreja no país comunista estava lotada com 5 mil pessoas para o culto. O prédio de 11 milhões de dólares tem o dobro da capacidade da Abadia de Westminster em Londres, considerada uma das grandes igrejas no Ocidente pós-cristão.

“É maravilhoso ser um seguidor de Jesus Cristo,” Jin Hongxin, de 40 anos, que estava no culto da mega-igreja, disse ao The Telegraph. “Se todas as pessoas na China cressem em Jesus então não mais precisaríamos de delegacias de polícia. Não haveria mais pessoas ruins e portanto não mais crimes.”
A fome espiritual dos chineses está indo na direção certa: o Evangelho.
A reportagem do The Telegraph diz que as congregações cristãs estão crescendo rapidamente desde a morte do ditador comunista Mao Tse Tung em 1976, quando terminou a terrível Revolução Cultural.
“Mao achava que conseguiria eliminar a religião. Ele achava que havia conseguido fazer isso. É irônico — os comunistas não conseguiram. Eles de fato fracassaram completamente,” Fenggang Yang, professor de sociologia na Universidade Purdue e autor do livro “China: Survival and Revival under Communist Rule” (Religião na China: Sobrevivência e Reavivamento sob Governo Comunista), disse ao The Telegraph. “Pelos meus cálculos, a China está destinada a se tornar o maior país cristão do mundo muito em breve. Em menos de uma geração. Muitas pessoas não estão preparadas para essa mudança dramática.”
A população evangélica chinesa, que era apenas um milhão em 1949, já ultrapassou as populações evangélicas de países mais comumente associados com o crescimento evangélico acelerado. Em 2010, havia mais de 58 milhões de evangélicos na China, em comparação com 40 milhões no Brasil e 36 milhões na África do Sul.
O professor Yang crê que o número de cristãos chineses alcançará 160 milhões em 2025, passando na frente até mesmo dos Estados Unidos, que tinham 159 milhões de protestantes em 2010, mas cujas congregações estão em declínio.
Em 2030, a população cristã total da China, inclusive católicos, ultrapassará 247 milhões, colocando-a acima do México, Brasil e Estados Unidos como a maior população cristã do mundo.
Todo esse crescimento é, em grande parte, motivado pelo incessante e crescente interesse dos chineses pela pessoa de Jesus Cristo.
Um estudo publicado no começo deste mês revelou que Jesus Cristo é mais popular no Weibo, a versão chinesa do Twitter, do que o ditador comunista Mao.
De acordo com esse estudo, o atual governante comunista chinês, Xi Jinping, recebeu 4 milhões de menções no Weibo, mesmo com todos os jornais estatais escrevendo sobre ele diariamente.
Mas o nome “Jesus,” que não é mencionado nos jornais estatais, deu mais de 18 milhões de menções no Weibo.
O quadro de crescimento explosivo do Cristianismo na China levou Tom Phillips, autor da reportagem no The Telegraph, à seguinte conclusão: tudo está pronto para a China se tornar o país mais cristão do mundo.
Em reação à reportagem inglesa, a revista Charisma, que é a maior publicação pentecostal do mundo, perguntou: “Será que isso é verdade? E se for, o que isso diz acerca dos Estados Unidos da América? Será que a China está indo para Cristo numa época em que os EUA estão abandonando o Cristianismo?”
A pergunta que eu acrescento é: Por quanto tempo o comunismo poderá sobreviver numa nação onde o Cristianismo não para de crescer? Por quanto tempo uma nação conseguirá sobreviver sem cair numa ditadura quando sua população cristã não para de diminuir? 
Fonte: Júlio Severo