domingo, 23 de novembro de 2014

Reforma evangélica urgente em solo brasileiro


Por Pr. Marcos Sampaio


Ao olharmos para a história recente da igreja evangélica no Brasil, podemos perceber que houve avanços sem precedentes do evangelicalismo por boa parte do país. Entretanto, a igreja evangélica brasileira tem sofrido também sériastransformações estranhas ao cristianismo bíblico, devastando muitas congregações, até mesmo aquelas que no passado eram conservadoras dos fundamentos da fé cristã.

Uma tendência pragmática e humanista tem silenciosamente minado os princípios do cristianismo bíblico. A experiência e a opinião popular têm sido mais autoritárias do que a Bíblia para determinar o que muitos crentes acreditam e praticam hoje. A psicologia secular, por exemplo, está praticamente superando a Palavra de Deus em muitos púlpitos evangélicos brasileiros, não oferecendo mais do que experiências de auto-ajuda, em vez de respostas sólidas a partir da Bíblia. Tornou-se modismo renunciar o ensino da Palavra nos cultos dominicais. Em vez disso, muitas igrejas têm investido em teatros com seus dramas e novelas, músicas extravagantes e outras formas de entretenimento para atrair as grandes multidões.

Cristo não é mais o foco da mensagem do evangelho tão banalizado em nossa época. Podemos até ouvir o seu Nome ao longo de uma reunião, mas o foco real são as coisas desta vida. As pessoas são incitadas a olhar para dentro de si mesmas para tentar se entender, para vir a enfrentar seus problemas e dilemas, suas dores, seus desapontamentos, ter suas necessidades atendidas e os seus desejos cumpridos. Quase que todas as versões desse tipo de cristianismo popular são incentivar e legitimar uma perspectiva de auto-satisfação e nada mais do que isso. Podemos ainda citar as mazelas da teologia da prosperidade, o mercantilismo gospel e a banalização da graça.

Não podemos ficar calados diante desta dura realidade do cenário evangélico, no Brasil.

Como vamos sustentar a ideia de um evangelho ao gosto do freguês, onde carregar a cruz para muitos é apenas uma opção e não uma exigência cristã? O que falar das igrejas que transformaram seus templos em um lugar de show e entretenimento religioso? E a mensagem diluída que cada vez mais ocupa os púlpitos de muitas igrejas evangélicas e com isso a verdade bíblica já não é mais absoluta e a regra de fé e prática?

Que Deus nos conceda uma reforma profunda em solo brasileiro, para que de fato aconteça uma redescoberta da beleza do cristianismo bíblico centrado em Deus.

***
Sobre o autor: Marcos Sampaio é teólogo e pastor da Igreja Batista da Caputera, Angra dos Reis-RJ.

Divulgação: Bereianos