domingo, 4 de outubro de 2015

“Ausente com o corpo, presente com o Senhor”

Em 2 Coríntios 5:6-8, nós lemos:
2 Coríntios 5:6-8 
“Por isso estamos sempre de bom ânimo, sabendo que, enquanto estamos no corpo, vivemos ausentes do Senhor (Porque andamos por fé, e não por vista). Mas temos confiança e desejamos antes deixar este corpo, para habitar com o Senhor.”
Para muitas pessoas, a frase “deixar este corpo, para habitar com o Senhor” significa que quando alguém morre está imediatamente com o Senhor. Contudo, uma leitura cuidadosa mostra que isto não é o que a passagem diz. Na verdade, o que ele diz é que “desejamos deixar este corpo, para habitar com o Senhor”. A frase “desejamos” mostra que a passagem estabelece um desejo, uma vontade, que não é uma vontade “morrer”, mas sim “deixar este corpo para habitar com o senhor”. Embora uma imagem clara e completa do que esta frase significa seja possível somente depois do exame de seu contexto, nós podemos desde o início descartar que isso poderia sequer significar que quando se morre se está imediatamente com o Senhor, porque em um caso como este, haveria uma contradição inflexível com 1 Tessalonicenses 4:15-17, que diz:
1 Tessalonicenses 4:15-17 
“Dizemo-vos, pois, isto, pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem. Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, E ASSIM [i.e., desta forma, a ressurreição dos Cristãos mortos e a mudança do corpo dos vivos] estaremos sempre com o senhor.
Se em 2 Coríntios 5:6-8 Deus disse que quando alguém morre este imediatamente está com o Senhor, então como poderia em 1 Tessalonicenses 4:17 o mesmo Deus dizer que “E ASSIM [i.e. pela ressurreição, pela mudança dos corpos] ESTAREMOS sempre com o Senhor?” Obviamente ou a Palavra está errada, o que é impossível, ou a interpretação que é normalmente dada para 2 Coríntios 5:6-8 está errada. Como veremos que é o caso estudando o contexto mais tarde. Assim, começando de 2 Coríntios 4:13 – aproximadamente 15 versículos antes - nós lemos:
2 Coríntios 4:13-14 
“E temos, portanto, o mesmo espírito de fé, como está escrito: Cri, por isso falei; nós cremos também, por isso também falamos. Sabendo que o que ressuscitou o Senhor Jesus nos ressuscitará também por Jesus, e nos apresentará convosco.”
O que Paulo sabia pela revelação não foi que depois que se morre continua-se a viver junto com os outros mortos. Em vez disso, o que ele sabia e ensinou foi que: “sabendo que o que ressuscitou o Senhor Jesus nos ressuscitará também por Jesus, e nos apresentará convosco.” Paulo esperou e ainda espera a ressurreição, para ser apresentado, para estar junto, como aqueles crentes coríntios. A última vez que ele os viu foi na última vez que ele visitou Corinto, e a próxima vez que ele vê-los será quando tanto ele quanto eles serão ressuscitadospara encontrarem, junto com os crentes vivos, o Senhor no ar. Obviamente, portanto, o contexto de nossa passagem não é sobre a morte, mas sobre seu oposto exato: aressurreição dentre os mortos. Mas vamos continuar:
2 Coríntios 4:18; 5:1-4 
“Não atentando nós nas coisas que se veem, mas nas que se não veem; porque as que se veem são temporárias, e as que se não veem são eternas. Porque sabemos que, se a nossa casa terrestre deste tabernáculo se desfizer, temos de Deus um edifício, uma casa não feita por mãos, eterna, nos céus. E por isso também gememos, desejando ser revestidos da nossa habitação, que é do céu; Se, todavia, estando vestidos, não formos achados nus. Porque também nós, os que estamos neste tabernáculo, gememos carregados; não porque queremos ser despidos, mas revestidos, para que o mortal seja absorvido pela vida.”
Quando esta passagem fala por um "tabernáculo” e por uma “casa”, obviamente não quer dizer uma estrutura física sem vida. Na verdade, não é possível “ser revestidos” com uma casa física, nem é possível pela mudança disso que o “mortal seja absorvido pela vida”. Quando, portanto, na passagem acima, as palavras "casa" e "tabernáculo" são usadas, elas são usadas com o significado de uma estrutura viva, uma casa viva. Em outras palavras elas são usadas com o significado de um corpo que, conforme vimos é a “casa de nosso ser1. Isto também é afirmado pelos versículos controversos 6-8, que seguem na passagem acima e que falam por um corpo. Como, portanto, a passagem acima (e as outras também – veja abaixo) nos diz, há dois corpos. Um é o corpo terreno, ou a casa que nós desejamos substituir com a outra que é o corpo ou casa celestial. Conforme a passagem diz quando nós estivermos revestidos com nosso corpo celestial ENTÃO "o mortal será absorvido pela vida”. 1 Coríntios 15:35-58 diz exatamente a mesma coisa. Na verdade, lá, a partir do versículo 44, nós lemos:
1 Coríntios 15:44-54 
“Semeia-se corpo [alma] natural, ressuscitará corpo espiritual. Assim está também escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito em alma vivente; o último Adão em espírito vivificante. Mas não é primeiro o [corpo] espiritual, senão o [corpo] natural; depois o espiritual. O primeiro homem, da terra, é terreno; o segundo homem, o Senhor, é do céu. Qual o terreno, tais são também os terrestres; e, qual o celestial, tais também os celestiais. E, assim como trouxemos a imagem do terreno [o corpo terreno, natural], assim traremos também a imagem do celestial [o corpo espiritual, celestial]. Agora dito isto, irmãos: que a carne e o sangue não podem herdar o reino de Deus, nem a corrupção herdar a incorrupção. Eis aqui vos digo um mistério: na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados; num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarãoincorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista da imortalidade. E, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então cumprir-se-á a palavra que está escrita: TRAGADA FOI A MORTE NA VITÓRIA."
Quando “tragada será a morte na vitória” (1 Coríntios 15:54)? Quando o mortal será absorvido pela vida” (2 Coríntios 5:4)? A resposta das duas passagens é muito clara: isto acontecerá quando “o que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e o que é mortal se revestir de imortalidade”. Isto acontecerá quando esta casa “terrestre” (2 Coríntios 5:1) ou o corpo espiritual (1 Coríntios 15:44), será substituído pela casa celestial (2 Coríntios 5:2) ou o corpo espiritual (1 Coríntios 15:44), que por sua vez ocorrerá quando o Senhor voltar (1 Tessalonicenses 4:15-17). Conforme em 1 Coríntios 15:52-54 nos diz, "ENTÃO [e somente então] cumprir-se-á a palavra que está escrita: tragada foi a morte na vitória."
Por tudo o que se disse acima deveria se estar claro que o contexto da passagem “controversa” de 2 Coríntios 5:6-8 não fala sobre a morte como uma esperança, mas para a mudança dos corpos, do terreno para o celestial, e da alma para o espiritual, que conforme nós vimos acontecerá no dia da vinda do Senhor. Com isto em mente, vamos reler os versículos 6-8:
2 Coríntios 5:6-8 
“Por isso estamos sempre de bom ânimo, sabendo que, enquanto estamos no corpo[o corpo terreno], vivemos ausentes do Senhor [nós necessitamos do corpo celestial para estar com ele]: (Porque andamos por fé, e não por vista). Mas temos confiança e desejamos antes deixar este corpo [o corpo terreno], para habitar com o Senhor.”
Estando neste corpo nós estamos ausentes do Senhor. Nós portanto queremos estar ausente deste corpo terreno? É claro que sim, porque “a carne e o sangue não podem herdar o reino de Deus, nem a corrupção herdar a incorrupção.” Isto significa que nós queremos morrer? É claro que não. Na verdade, onde é que a passagem diz algo dessa forma? Em contraste, conforme em 2 Coríntios 5:4 torna claro: “Não porque queremos ser despidos, masrevestidos”. O que, portanto, nós devemos verdadeiramente desejar não é morrer (ser “despidos”), embora nós possamos estar ausentes do corpo terreno nós também estaremos ausentes do Senhor, porque nós não teremos o corpo celestial também. Em contraste, o que nós verdadeiramente devemos desejar é estar “revestidos” com nosso corpo celestial, abandonando o corpo terreno presente. Somente então, quando nosso corpo terreno tiver sido substituído pelo nosso corpo celestial, nós estaremos presentes com o Senhor (1 Tessalonicenses 4:17). Quando isto acontecerá?” 1 Coríntios 15 foi muito claro: “Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta: porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista da imortalidade. E, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então cumprir-se-á a palavra que está escrita: tragada foi a morte na vitória."
Amém!