quinta-feira, 29 de março de 2012


UM APELO AOS PASTORES

Como mencionado anteriormente, um pastor que prega a Bíblia deseja o crescimento da igreja, e todo pastor que prega a Bíblia deseja ver a salvação de tantos indivíduos perdidos quanto possível. Entretanto, todo pastor também precisa colocar um pé atrás e fazer uma avaliação baseada na Bíblia da Religião Orientada Para Resultados e das diretivas sutis e gradativas que podem colocar tanto o pastor quanto a congregação no caminho para a total apostasia.

Os métodos de Robert Schüller, Bill Hybels, Dan Southerland, Rick Warren e outros, produzem resultados numéricos muito expressivos, mas o exame dos processos e do resultado revela que tudo não é como apresentado. Devido à natureza enganosa que o pastorado enfrenta em todos os níveis, os pastores precisam estar cientes da Escritura que adverte: "Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe não caia." (12).

Como uma defesa contra a apostasia sorrateira da Igreja do Novo Paradigma, as seguintes diretrizes para os pastores são oferecidas para servirem como uma lista de verificação de "advertência prévia" contra as armadilhas ocultas da Religião Orientada Para Resultados.

a.. Pregue sermões expositivos do púlpito. Reserve a instrução sobre relacionamentos, educação de filhos, finanças, etc. para seminários especiais ou estudos em grupos. Os cristãos se reúnem na igreja para ouvir o recado de Deus, não para assistir a uma exposição sobre planejamento financeiro, não para ouvir um discurso sobre as experiências pessoais da vida do pastor, não para assistir a uma aula sobre Psicologia.

b.. Redargua, repreenda e exorte. Chame o pecado pelo seu nome e não peça desculpas por adotar uma posição alinhada com a Palavra de Deus.

c.. Pregue e ensine a doutrina. É absolutamente crítico que os membros da igreja conheçam aquilo em que crêem e por que crêem. Isso os deixará preparados para enfrentarem o engano que se esconde por toda a parte - desde as "livrarias cristãs" até os programas religiosos nas emissoras "cristãs" de rádio e televisão, bem como a atração do mundo.

d.. Assuma uma posição firme com relação à tradução da Bíblia de João Ferreira de Almeida, versão Corrigida e Fiel. Uma estaca precisa ser fixada no solo com relação a essa questão, pois os discípulos do Novo Paradigma lançaram um ataque malicioso contra essa tradução com afirmações de linguagem vaga e antiquada. Como resultado, um aspecto da nova metodologia do novo paradigma é o uso de múltiplas traduções. Ostensivamente, o uso de múltiplas traduções modernas torna o "Henrique sem-igreja" e a "Maria sem-igreja" mais confortáveis - por que eles estão teoricamente desconfortáveis com o uso dos pronomes "tu" e "vós" da ACF.

 Entretanto, um serviço em uma igreja do Novo Paradigma utiliza tantas traduções que a pessoa não pode ter certeza se o texto é das Escrituras ou de uma revista semanal de notícias. Como foi documentado anteriormente, deve ser dada liberdade pessoal para os membros nesta questão, mas é imperativo que a ACF seja o padrão irremovível para o ministério no púlpito, na Escola Dominical, nos estudos bíblicos, no Ministério dos Jovens, etc. como uma primeira linha de defesa contra a invasão de filosofias do novo paradigma.

e.. A música é normalmente o primeiro ponto de transição em qualquer congregação. É absolutamente imperativo que os pastores resistam à pressão para usar bandas de louvor, coros de louvor contemporâneos no estilo do "Rock", deixar de usar o hinário e/ou implementar um "serviço contemporâneo". A pressão para essa transição é dupla: O pastor receberá pressão dos membros da igreja que acham que a igreja está fora de moda e não tem apelo para a geração mais jovem, ou que crescerá mais depressa se a música Rock contemporânea for implementada; e o pastor será pressionado por seus pares, que falarão dos sucessos e do crescimento explosivo que experimentaram quando se "tornaram contemporâneos".

f.. Defenda a Doutrina da Separação. Não apóie, não elogie e nem ofereça suporte aos evangelistas ecumênicos, aos pastores do novo paradigma, ou aos evangélicos carismáticos. Mesmo se esses indivíduos estiverem fazendo algumas coisas corretas, ou liderando grandes igrejas - os pastores precisam seguir a posição bíblica e se separar deles. Além disso, não apóie, não recomende, e nem participe de organizações como Mulheres de Fé, Promisse Keepers, Habitát Para Humanidade, e outras organizações ecumênicas permeadas com a contemporização.

g.. Não contrate firmas de consultoria em crescimento de igreja, como a Injoy, Church Transitions, ou outras que implementam as metodologias do novo paradigma para ajudar em programas de construção ou expansão de igreja.

h.. Lembre-se que um pastor é um humilde servo de Deus - não um executivo-presidente de uma empresa. A igreja local tem de ser liderada de acordo com a metodologia prescrita na Palavra de Deus - não nos princípios de Edward Demming, Peter Drucker, ou em livros de marketing.

i.. A "visão para a igreja" do pastor precisa se alinhar em sua doutrina e metodologia com a Palavra de Deus. Se esse não for o caso, a visão do pastor não é o plano de Deus.

j.. O pastor do rebanho precisa sempre ter em mente que o "bom pastor" cuida de todas as ovelhas. Portanto, o pastor precisa ter a certeza de que não cai na cilada de marginalizar certos membros, ou escolher quem deixará a igreja com a implementação de um programa de transição.

Autor: Anderson da Silva Araújo 
Fonte: www.palavraprudente.com.br