domingo, 21 de abril de 2013

Se você espera frutos sem uma árvore, você é louco




Nós igualamos amor com indiferença ao pecado quando a lógica da Bíblia é exatamente o contrário.

A cruz é a mais completa expressão do amor de Deus não porque ela mostra a indiferença de Deus ao pecado, mas porque ela mostra o ódio santo de Deus contra o pecado e seu desejo de Ele próprio pagar pelo pecado. Isso é amor.

No final de Atos 7, vemos Estevão orando pela multidão furiosa que lhe apedrejava até a morte. Ele diz com seu último fôlego: “Senhor, não lhes impute este pecado!”. Certamente isso é amor: Estevão queria que eles recebessem a misericórdia que eles não tiveram com ele. Ele não tinha feito nada de errado.

Estevão não merecia morrer. A atitude deles foi um profundo exemplo de injustiça criminal. Ainda assim, em seu suspiro final, ele clama em favor deles: “Senhor, tenha misericórdia”.

Como ele fez isso? Como Estevão pode amar assim? Como podemos amar assim? Como podemos orar assim? Como podemos perdoar assim? Muitas pessoas no mundo querem amar e perdoar. Gostamos dessas virtudes em nossa cultura. Mas poucas pessoas estão interessadas nos princípios que fazem essas virtudes possíveis. 

Pessoas querem amar como Estevão sem se incomodar em entender e ganhar convicção da teologia que fez esse amor possível. Eles não querem ver o Jesus que ele viu, ou crer na vindicação que ele sabia que viria, ou entregar a ofensa deles ao Deus de justiça que um dia irá endireitar todas as coisas.

No mundo, eles querem ser boas pessoas. Mas não percebem que precisam ser pessoas de Deus antes.

Espero que você não esteja indo para a igreja apenas para se tornar uma pessoa melhor ou apenas pelos valores morais que seus filhos possam aprender. Não é assim que o Cristianismo funciona.

Tornar-se um cristão não se trata simplesmente de autoaprimoramento. Mas Cristianismo é sobre uma centena de verdades específicas que ensinam nossas mentes e tocam nossos corações – verdades sobre Deus, Cristo, pecado e salvação. E sim, depois, e somente em conexão com todo o restante, ele é sobre ser uma boa pessoa. 

Quando você abraça a cosmovisão bíblica do Pai, Filho e Espírito Santo; Criação, Queda, Redenção e Consumação; Redenção consumada e aplicada – quando seu coração exultar por tudo isso, então você dará fruto. Mas nunca espere parecer com Estevão se você deseja o fruto sem a árvore.

Kevin DeYoung - Traduzido por Alex Daher | iPródigo.com