quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Como glorificar a Deus na apologética?



Por Luciano Sena


1. Não busque a sua vitória sobre o oponente, mas busque a Glória do Deus da verdade, ao expor a verdade Dele (Jo 14.6;17.17). Se em algum comportamento, palavra, afirmação ou negação, tocarmos a Glória de Deus, ou desviarmos dela a atenção, perderemos o debate no campo espiritual.

2. Sua preocupação, em segundo lugar, deve ser também com a segurança espiritual de seus irmãos, os demais filhos do Deus da verdade. A apologia deve ser olhada como uma proteção ao rebanho de Cristo (Jo 10.1-16). Pastores que negligenciam a defesa da fé coloca o rebanho sob seus cuidados em uma situação de risco (comp. Is 32.1,2).

3. Não importa também se o seu oponente ficará convencido de sua argumentação se você tem por objetivo a glória de Deus, mas, seu objetivo também é salvá-lo (1 Co 9.22). Visto que isso não é exigido de você, essa não deve ser sua preocupação primordial, mas você deve fazer o melhor para alcançá-lo para Cristo.

4. Sua argumentação deve ser verdadeira e investigada. Tenha certeza do que você apresentará, para que o Deus da Verdade não tenha um apologista acusado de mentira, falsificação ou coisa do tipo. A verdade é poderosa e não precisa de subterfúgios (Jo 8.32). Isso, não garante a conversão ou o reconhecimento do oponente, mas a glória de Deus.

5. Não olhe para ele como um promotor da mentira, mas como uma vítima do engano [Aqui é um ponto que falhei muito!]. Não deixe que seu amor pela verdade extrapole e condene ou ofenda seu oponente, ele só sentirá dor e não o alívio que a Verdade proporciona (Mt 11.28,29,30). Sabemos que a verdade por si mesma causará dores e danos à história herética dele. Ela exigirá um preço a ser pago por ele.

"Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas; Destruindo os conselhos, e toda altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo." II Co 10.4,5

***