domingo, 6 de janeiro de 2013

Impureza não é nenhuma novidade





por John MacArthur


Não é nenhuma surpresa o mundo pensar que a visão bíblica da sexualidade está desatualizada. A sociedade diz que você precisa avançar o seu pensamento para além da Idade das Trevas, abrir suas mentes para novas perspectivas. Em outras palavras, o mundo diz que você precisa ser mais “moderno”.

Mas não há nada de moderno, iluminado ou novo sobre como a sexualidade tem definido a nossa cultura.

Nossa sociedade não é a primeira a celebrar a promiscuidade e promover todos os tipos de lascívia e comportamento perverso.

Nós achamos que a promiscuidade sexual que a cultura atual passa é algo novo, que chegamos a um baixo nível e que o mundo está mais pecaminoso como nunca. Mas não.

Basta olhar para o mundo do Novo Testamento, especificamente olhe para a igreja de Corinto. Paulo relata a igreja de Corinto o seguinte:

“Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus.Tais fostes alguns de vós; mas vós vos lavastes, mas fostes santificados, mas fostes justificados em o nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus.” 1 Coríntios 6.9-11

Bem vindo à Primeira Igreja de Corinto! A congregação de Paulo estava cheia de ex-fornicadores, ex-idólatras, ex-adúlteros e ex-homossexuais. O pecado sexual era tão desenfreado no tempo de Paulo, que era parte do passado de todos.

A perversão era comum e generalizada. Ela foi tolerada, aceita, defendida e incentivada. A igreja primitiva foi fundada no meio de uma cultura sem vergonha, onde tudo valia.

Ao longo das últimas décadas, temos visto um mudança cultural retrocedendo a essa mentalidade de vergonha nenhuma. A revolução dos anos 60 e 70 e o início da revolução homossexual dos anos 80 tornaram as perversões sexuais comuns novamente. Nossa cultura é dominada e conduzida por todos os tipos de desvios sexuais.

Na verdade, a única vergonha destes dias é não tolerar o comportamento de outras pessoas sem vergonha.

E a perversão sexual generalizada não se limita a sociedade secular. Pastores populares falam interminavelmente sobre como melhorar e expandir a sua vida sexual. Os Campus Universitários são influenciados por grupos de estudantes homossexuais. E o adultério e promiscuidade desenfreada está em todas congregações ao redor do mundo.

A igreja não precisa ser mais moderna quando se trata de sexualidade em termos de desvios sexuais destrutivos e perversão, já estamos longe demais como sociedade moderna do jeito que está.

Nós estamos essencialmente nos dias de Corinto. E para sabermos como navegar em uma cultura entregue a lascívia e perversão sexual, precisamos olhar para todas as instruções que Paulo deu a igreja primitiva, contidas na Bíblia.

Traduzido e adaptado por Carlos Reghine | Reformando-me | Original aqui