terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

O terceiro mandamento



“Não tomarás o nome do SENHOR, teu Deus, em vão, porque o SENHOR, não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão”. (Êxodo 20.7)

A maneira pela qual muitos cristãos tratam o nome de Deus em nossos dias é de preocupar, e porque não dizer, estarrecer. Em seu livro “A Lei de Deus Hoje”, Solano Portela transcreve e analisa algumas reportagens das Revistas Isto é e Veja onde os repórteres publicam matérias sobre famosos artistas e atletas que se denominam evangélicos, mas que, na realidade, o seu modo de vida não condiz com o procedimento de um convertido a Cristo. 

Como diz Portela: “Procurando uma coexistência pacífica com a profissão de fé evangélica, distorcem todo o conceito de santidade contido no nome de Deus”. Muitas coisas têm acontecido e o nome de Deus tem sido deturpado de maneira grosseira e aviltante. 

Entendemos que, um retorno às Escrituras Sagradas, uma leitura criteriosa e um desejo de conhecer melhor a Deus, por certo, modificará o quadro religioso com referência a Deus. 

Os Mandamentos, e em especial o 3º Mandamento da Lei de Deus, é um denominador comum que nos orienta a viver e honrar o santo nome de Deus segundo os critérios contidos na Sua Palavra. 

O Que Nos Ensina o Terceiro Mandamento? 

I – O TERCEIRO MANDAMENTO NOS FALA SOBRE DEUS, NAQUILO QUE ELE NOS REVELA
“Não tomarás o nome do SENHOR, teu Deus, em vão,...”. 

Saber sobre o nome de Deus nada mais é do que nos apropriarmos de uma experiência profunda com Ele. Deus se revela como: 

  • Elohim que é o “Deus Onipotente”;
  • Yahweh que é o “SENHOR” absoluto em tudo e em todas as coisas; 
  • El-Shaddai que é o “Deus Todo-Poderoso”; 
  • Yahweh-Yireh que é “Deus Proverá”; 
  • Yahweh-Rophe que é o “Senhor que Cura”; 
  • Yahweh-Nissi que é o “Senhor é a minha Bandeira”, ‘dando segurança para o seu povo na presença dos inimigos’; 
  • Yahweh-M’Kaddesh que é o “Senhor da Santidade”; 
  • Yahweh-Tsidkenu que é o “Senhor é nossa Justiça”. 

Temos ainda outros nomes e títulos sobre Deus em todas as Escrituras Sagradas. 

No cômputo geral, na soma total das manifestações do Deus que se revela a nós, o seu povo, através dos seus nomes e manifestações, mostrando os seus atributos (Rm 1.20), temos uma doutrina segura, verdadeira, orientadora, firme e consistente que se torna divisora das falsas e putrefatas doutrinas que povoam o mundo entenebrecido pelo pecado e o poder das trevas, mostrando-nos o caminho seguro a seguir.

II – O TERCEIRO MANDAMENTO NOS ENSINA QUE O NOME DE DEUS É INEGOCIÁVEL 
“porque o SENHOR não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão”. 

A irreverência dos nossos dias para com o nome de Deus e o desconhecimento da Sua Soberana vontade nas Escrituras, tem criado uma geração que usa o Seu Santo Nome sem nenhum escrúpulo e critério, desgastando-O e injuriando-O. 

Vejam apenas alguns dados. Milhares de pessoas estão construindo fortunas e se enriquecendo na venda de roupas, adesivos, etc., usando o nome de Deus. 

O Revdo. Horton escreve que, da propaganda de uma cerveja: “Esta Bud é para você”, foi modificada para: “Este sangue é para você”

Certo dia estávamos em Jaú, no Hospital do Câncer, por conta do tratamento quimioterápico da minha esposa, quando vimos uma senhora com uma camiseta que tinha na frente a seguinte frase: “Tá com sede?” e atrás a resposta: “Jesus mata a sede”. 

“Sempre que barateamos o nome de Deus”, escreveu Horton, “por meio de vãs repetições, criando slogans irreverentes ou, realmente, praguejando, nos envolvemos numa violação do 3º Mandamento”.

III - O TERCEIRO MANDAMENTO NOS INDICA A SALVAÇÃO ATRAVÉS DO NOME DE DEUS
Em Atos 2.21 Pedro diz que: “Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo”. 

1 Jo 5.13: “Estas coisas vos escrevi, a fim de saberdes que tendes a vida eterna, a vós outros que credes em o nome do Filho de Deus”. 

At 4.12: “E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo que importa que sejamos salvos”.

Os apóstolos pregaram que o nome de Jesus Cristo é que garante a redenção eterna daquele que crê. É preciso invocar o nome de Cristo. É preciso crer em o nome do Filho de Deus. É preciso saber e crer que não existe nenhum outro nome, dado entre os homens pelo que importa que sejamos salvos.

Conclusão
Diante do que nos expõe o Terceiro Mandamento, qual tem sido a sua atitude para com o nome de Deus?