sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Pequei contra ti somente



Pequei contra ti; contra ti somente, e fiz o que é mal perante os teus olhos de maneira que serás tido por justo no teu falar e puro no teu julgar - Salmos, 51.4 

O Salmo 51 é a oração de confissão de Davi por ter pecado contra Deus adulterando com Bate-Seba e planejado a morte de seu esposo, o soldado Urias. Quem o lê com atenção vê a profundidade do arrependimento deste homem que amou a Deus espelhando o profundo desagrado do SENHOR para com o que ele havia feito. 

Com Davi aprendemos a tomar cuidado com o que fazemos, pois, como disse Natã, o profeta quando foi, em nome de Deus, repreendê-lo dizendo que embora perdoado, no entanto, a espada jamais se apartaria da sua casa (2 Sm 12.10). 

Desenvolvendo os pontos fundamentados no Salmo 51 e em 2 Samuel 12. A facilidade com que as pessoas pecam desprezando a lei do SENHOR atrai sobre si um juízo muito severo. De Deus não se zomba, pois a verdade está acima do amor. 

1 - TRÊS TENEBROSAS AÇÕES DO MAL EM NÓS
Pecado, Iniquidade, Transgressão. 

"Lava-me completamente da minha iniquidade e purifica-me do meu pecado. Pois conheço as minhas transgressões e o meu pecado está sempre diante de mim" (v.2,3). 

O erro de Davi estava tri-dimensionado. Isto é o que pode acontecer conosco: 

a) Pecado - na língua hebraica, errar o alvo. Nossos primeiros pais erraram o alvo por desobediência consciente. 

b) Iniquidade - no hebraico, significa uma progressiva e destrutiva forma de pecado. 

c) Transgressão - tem o significado hebraico de desobediência deliberada, intencional, voluntariosa. Davi reconhece que o seu pecado não foi só uma tentação do inimigo na qual caiu na sua cilada e, sim, que o seu pecado contra Ele foi também de maneira voluntária, deliberada, intencional. 

Desobediência pura mesmo! Por isso devemos tomar cuidado quando colocamos a culpa no outro pelo nosso pecado. Foi o que fizeram Adão e Eva no Éden, transferindo, um para o outro o erro cometido, e, finalmente, colocado a culpa toda na serpente. 

2 - SE FÁCIL É PECAR, DIFÍCIL É SAIR DO JUÍZO DIVINO
"Não me repulses". "Pequei contra ti; contra ti somente". 

Uma vez que todo pecado é o intencional errar o alvo, uma rebelião deliberada contra Deus entendemos que o fazemos não porque fomos enganados. Não caímos nele porque fomos tomados de surpresa. 

Quando o pecado nos aprisiona e nos acorrenta levando-nos ao desastre foi porque o alimentamos durante muito tempo. Fomos nós quem nos enleamos nele durante todo um processo instalado e alimentado na mente no coração. 

O caso de Davi e Bate-Seba também não difere dos demais. Houve tempo de sobra para ele se livrar dele, no entanto, preferiu assim. De maneira que o juízo de Deus foi severo e apesar do perdão a espada permaneceu. 

Há muita gente, em nossos dias, brincando com o pecado crendo que Deus por ser amor deixará de exercer seus juízos. Ledo engano! 

3 - DUAS COISAS DAS QUAIS NÃO SE PODE FUGIR
Do Pecado e da Graça de Deus. 

a) Do Pecado - Por ser algo inerente em nós. Quando Davi disse que em pecado me gerou minha mãe estava reconhecendo a presença dele em sua vida: de maneira impiedosa e cruel, levando-o a desejar e fazer o detestável. 

b) Da Graça de Deus - Pelo fato de saber que Deus é cheio de misericórdia, benigno. Davi reconheceu a sua transgressão (v.3), isto é, a sua desobediência deliberada, mas se apegou à graça de Deus, ao favor divino. 

Se não podemos fugir das garras do pecado, todavia sabemos muito bem que não deixamos de ter a graça de Deus quando verdadeiramente arrependidos. 

Conclusão 
Que nunca venhamos cair em transgressão para que a espada da ira e da disciplina de Deus não nos alcance e em nós permaneça.

Antonio Coine