sábado, 1 de março de 2014

A derrota da língua

A insensibilidade faz a ferida curar devagar. Se alguém fere seus sentimentos intencionalmente você sabe como reagir. Você sabe a fonte da dor. Mas se alguém acidentalmente machuca sua alma, é difícil saber como responder

Alguém no trabalho critica o novo chefe que também casualmente é seu querido amigo. “Ah, desculpe-me – esqueci que vocês dois eram tão próximos”

Uma piada é contada em uma festa sobre pessoas muito gordas. Você está muito gordo. Você ouve a piada. Você sorri educadamente enquanto seu coração afunda

O que era para ser uma situação para uma decisão ou uma ação torna-se um ataque pessoal. “Você tem uma história de decisões medíocres, John”

Alguém escolhe lavar sua roupa suja em público. “Sue, é verdade que você e Jim estão separados?”

Comentários insensíveis. Pensamentos que deveriam ter permanecido pensamentos. Sentimentos que não eram da conta de ninguém sendo discutidos. Opiniões atiradas sem cuidado como uma granada na multidão

E se você fosse falar com a pessoa que lançou esses dardos descuidados a respeito da dor que causaram, a sua resposta seria, “Ah, mas eu não tinha intenção... eu não percebi que você era tão sensível!” ou “Esqueci que você estava aqui”

Listado debaixo do título de subterfúgio, está o veneno da insensibilidade. É chamado subterfúgio porque é muito sutil. Somente um descuido da língua. Somente uma lacuna na memória. Ninguém é culpado. Nenhum dano foi causado

Talvez. E, talvez não. Enquanto os inocentes agressores continuam seu caminho desculpando-se por coisas feitas sem intenção de magoar, uma alma ferida é deixada no pó, completamente confusa. “Se ninguém pretendia me ferir, por que eu sinto uma dor tão grande?”

A Palavra de Deus possui um forte remédio para aqueles que movimentam suas línguas sem cuidado

Assim também, a língua é um fogo; é um mundo de iniqüidade. Colocada entre os membros do nosso corpo, contamina a pessoa por inteiro, incendeia todo o curso de sua vida, sendo ela mesma incendiada pelo inferno. Tiago 3:6

Quem é cuidadoso no que fala evita muito sofrimento.Provérbios 21:23

Quem guarda a sua boca guarda a sua vida, mas quem fala demais acaba se arruinando. Provérbios 21:23

Quando são muitas as palavras, o pecado está presente, mas quem controla a língua é sensato. Provérbios 10:19

A mensagem é clara: Quem se atreve chamar-se de embaixador de Deus não pode ter o luxo de palavras inúteis. Desculpas como “eu não sabia que você estava aqui” ou “Não percebi que isso era tão melindroso” são levianas quando vêm daqueles que dizem ser seguidores e imitadores do Grande Médico. Temos uma responsabilidade aumentada de guardar nossas línguas

Estes passos práticos expurgarão as palavras descuidadas de sua fala.

1. Nunca conte piadas que difamam

2. Nunca critique em público a menos que você: já tenha expressado seu desapontamento com a outra pessoa em particular, já tenha levado alguém com você para discutir o motivo da queixa com a pessoa, e está absolutamente convencido que a repreensão pública é necessária e irá ajudar

3. Nunca diga nada a respeito de alguém em sua ausência que você não diria na sua presença

Calúnias insensíveis podem ser acidentes, mas não são perdoáveis

Autor: Max Lucado