domingo, 17 de novembro de 2013

Amor de quem pouco deu e muito recebeu


“Por isso, te digo: perdoados lhe são os seus muitos pecados, porque ela muito amou; mas aquele a quem pouco se perdoa, pouco ama” (Lucas 7.47 – Ler 7.36-50).

Dentro de uma mansão, ou de um casebre; num suntuoso templo, ou numa simples capela, as palavras do Senhor Jesus alcançam e transformam os corações aflitos ou empedernidos pelo pecado. 

Esta cena Lucas nos apresenta um ambiente de graça misericordiosa criado pelo Senhor Jesus a uma mulher que, tida como mau caráter e, ao mesmo tempo, de desgraça, por um fariseu, uma pessoa impiedosa. 

Caminhemos no ambiente desta casa onde vive um fariseu que hospeda Jesus e vejamos as manifestações da graça do Evangelho para com o pecador penitente, e de juízo para com um pecador impenitente. 

Vemos isto acontecer diariamente quando pessoas adentram um local de culto, de adoração, e ouvem a amorosa mensagem do evangelho saindo do mesmo jeito que entrou, ou até pior, bem como, daqueles pecadores de quem nada se espera e, no entanto, saem eternamente salvos e transformados. O que é que existe neste texto?

Lucas 7.36-50 descreve de maneira magistral o modo como o nosso Senhor Jesus Cristo atrai o pecador para si e o transforma numa nova criatura ao perdoar os seus pecados. 

O que acontece, na casa de uma pessoa religiosa que hospeda um rabino e se opõe a uma pecadora? O texto nos diz que:

I – HÁ UM FARISEU ARROGANTE E SEM AMOR QUE IGNORAVA O AMOR DE CRISTO

Há um fariseu mal educado e arrogante. 

a) Porque Mal Educado? Ele é mal-educado porque desrespeitou toda conduta da hospitalidade oriental. 

Vejamos o que o Senhor diz a ele: “Entrei em sua casa: 

1) Você não me deu água para lavar os pés. 
2) Você não me saudou com um beijo. 
3) Você não me ungiu a cabeça com óleo. 

b) Porque Arrogante? “Ao ver isso (que a mulher chorava, enxugava os pés de Jesus, os beijava e os ungia) o fariseu que o havia convidado disse a si mesmo: ‘Se este fosse profeta, saberia quem nele está tocando e que tipo de mulher ela é: uma pecadora’” (vv.38b-39). 

II – HÁ UMA MULHER QUE REPRESENTA O PECADOR PENITENTE ATRAÍDO PELO SENHOR.

Há uma pecadora penitente e desesperada. 

a) Porque Penitente? Porque se prostra aos pés do Senhor Jesus: “Ao saber que Jesus estava comendo na casa do fariseu, certa mulher daquela cidade, uma pecadora, trouxe um frasco de alabastro com perfume, e se colocou atrás de Jesus, a seus pés.” (v.37). 

b) Porque Desesperada? Porque derrama copiosas lágrimas nos pés do Salvador: “Chorando começou a molhar-lhe os pés com suas lágrimas”. 

c) Que faz as vezes do fariseu na hospitalidade. “começou a molhar-lhe os pés com suas lágrimas. Depois os enxugou com seus cabelos, beijou-os e os ungiu com o perfume” (38b).

III – HÁ JESUS CRISTO REVELANDO O AMOR QUE PERDOA OS PECADORES ARREPENDIDOS

Há um Salvador maravilhoso e perdoador.

“Então, disse à mulher: Perdoados são os teus pecados.” (v.47). O ápice deste grandioso acontecimento na casa de um religioso frio, estéril e deficiente foi quando: 

Os Resultados de tudo isso:

a) UM TÃO GRANDE PERDÃO a: 

1) Uma mulher muito pecadora. “perdoados lhe são os seus muitos pecados.” 
2) A uma pecadora cheia de amor a Deus. “porque ela muito amou.” 

b) UMA GRANDE LIÇÃO:

a) Aos “santarrões”: Àqueles que se consideram “Muito Santos”. “Mas aquele a quem pouco se perdoa, pouco ama”. 

c) UMA TÃO GRANDE BÊNÇÃO:

a) Aos que se penitenciam diante do Senhor Jesus, reconhecendo os seus muitos pecados”. “Mas Jesus disse à mulher: A tua fé te salvou; vai-te em paz” (v.50).

Conclusão
E você, caro(a) amigo(a), qual é a sua reação? A do fariseu autossuficiente, ou da mulher penitente?

------------------------------------