sábado, 9 de novembro de 2013

O MISTÉRIO DAS ERAS [As Dispensações de Deus]

9

O MILÊNIO


Introdução: 
A Terra vai continuar aqui (antes da Nova Terra) por 7 mil anos  e no sétimo período de 1.000 anos, ela “Já descansa, já está sossegada toda a terra; rompem cantando” (Isaías 14:7). Esperamos que esta Terra, que já tem estado durante 6.000 anos em meio a muitas guerras e derramamento de sangue, possa, finalmente, descansar por um período de mil anos, no seu “shabat” de repouso.


I - O Governo do Milênio

A -
 O Rei, Jesus Cristo, vai governar a Terra inteira, com vara de ferro, a partir de Jerusalém (Apocalipse 2:27; Isaías 11:1; Salmo 110). Ele governará numa ditadura militar pacifista.

B - Os juízes de Israel - Serão os fiéis discípulos de Cristo (Mateus 19:27-30).

C - Os governantes das cidades do mundo - Serão os santos da Era da Igreja, que forem julgados fiéis durante a era atual (Lucas 19:12-27). O direito de governar será  julgado pela sua disposição de sofrer (Romanos 8:17-18; 2 Timóteo 2:12; 2 Coríntios 5:1-14).


D - Os resultados desse governo:
1. Paz (Isaías 2:4; 9:4-7; 11:6-9; 33:5-6).

2. Justiça (Isaías 9:7; 32:16;  42:1-4).

3. Proteção (Isaías 41:8-14; 62:8-9.; Amós 9:15).

4. Libertação da Opressão (Isaías 14:3-6; 42:6-7).

5. Trabalho (Isaías 62:8-9; 65:21-23; Jeremias 31:5).

6. Prosperidade Econômica (Isaías 4:1; 35:1-2, 7; Amós 9:14-15).

7. Linguagem Pura e unificada (Sofonias 3:9).


II - Os habitantes do Reino

A -
 Os santos da Era da Igreja - Eles, obviamente, terão corpos glorificados, com uma aparência semelhante à de Cristo, aos 33 anos (1 Coríntios 15:51-54; 1 João 3:2).

B - Israel Convertido - Os judeus voltarão a Israel. O tipo do Reinado de Cristo é encontrado no 1 Reis 2:10. O reinado de Salomão, filho de Davi, é o arquétipo do Reinado de Cristo, o Filho de Deus (Mateus 1), sobre o pedaço de terra ao qual Jesus terá acesso no Milênio (Deuteronômio 4:31; Romanos 11:25-26 e Apocalipse 12:14).


C - O Remanescente da Tribulação
1. Os que não receberam a marca da besta e escaparam da Tribulação (Daniel 11:41-42).

2. Os que vieram da Tribulação e ajudaram os judeus (Mateus 25:31-46).


D - Os Nascidos no Milênio - As pessoas vão se reproduzir durante o Milênio (Jeremias 30:20; Ezequiel 47:22). Isaías 65:20 indica que haverá um retorno à idade avançada, da era pré-diluviana (Zacarias 8:4-5).



III - ADORAÇÃO NO MILÊNIO
A - A adoração no Templo será restaurada no Milênio - Israel terá todo o pedaço da terra prometido a Abraão (Salmo 105:9-12), sobre a qual reinou Salomão (1 Reis 4:21). Ela será dividida em 12 partes, para as 12 tribos de Israel (Ezequiel 48). No meio da mesma, haverá uma porção sagrada, onde será construído o Templo, onde Cristo vai reinar.

Os sacrifícios de sangue serão reinstituídos - Ezequiel 43:18-46; Zacarias 14:16; Isaías 56:6-8; 66:21; Jeremias 33:15-18; Ezequiel 20:40-41 todos ensinam a restauração do sacerdócio e a reinstituição do sistema de sacrifício de sangue que existiu no Velho Testamento. Os sacrifícios, neste tempo, serão para a reparação nacional (Ezequiel 45:17), olhando retroativamente para a cruz. As luas novas e os sábados serão observados exatamente como nos disseram que seriam, em Isaías 66:22-24 e conforme Paulo advertiu no Novo  Testamento (Colossenses 2:16-17).

C - A adoração das nações - A única coisa dita sobre as  nações durante o Milênio é que estas subirão a Jerusalém, cada ano, a fim de adorar o Rei, o Senhor dos Exércitos (Isaías 2:2-3). Então, no futuro, a Lei do Senhor - os sábados, as luas novas, etc., sairão de Jerusalém e de Sião (Isaías 11:10-13; Zacarias 8:21-23; Miquéias 4:1-2).

         Zacarias 14 fala do Milênio. O Senhor voltará (Zacarias 14:9) e as nações serão instruídas para subir a Jerusalém, a fim de adorar o Rei, ano após ano, mostrando que a Festa dos Tabernáculos, em Setembro ou Outubro, está conectada à Segunda Vinda de Cristo. Se  as nações não honrarem o Rei em Jerusalém, sofrerão pragas (Zacarias 14:17-19) (Comparar com Isaías 26:10; 60:12; Salmo 68:6; 72:9).

D - Salvação individual - Não haverá fé no Milênio. O plano de salvação no Milênio será conforme Mateus 5, 6, 7.

         No Milênio, se um homem chama o outro de “tolo”, corre o perigo de ir para o inferno, na mesma hora. Se um homem se zangar com o seu irmão, sem motivo, deve ser  levado a um Tribunal. No Milênio, se um homem conduzir outro a uma corte judicial, este será obrigado a dar-lhe tudo que possui. A salvação será pelas obras (Mateus 5:24-26). Nesta dispensação, somos salvos pela graça através da fé, sem coisa alguma a ser acrescentada, e agora ninguém poderia ir para o céu, seguindo o Sermão do Monte, mesmo que ficasse de pé a noite inteira, orando sobre o mesmo.

         Então, um homem no Milênio é salvo pelas obras, sem a fé. Conseqüentemente, ele terá uma natureza não regenerada, a qual continuará sem mudança, e se ele não praticar boas obras, ficará perdido. No final do Milênio, quando Satanás for solto, ele encontrará uma quantidade de gente não regenerada, cansada da ditadura militar, saturada da autoridade de Cristo. Essas pessoas não estarão contentes com a Sua dureza, disciplina e poder; por conseguinte, vão seguir Satanás (Ver Apocalipse 20:7-9; Salmo 72:8-9; Isaías 26:9-11; Salmo 66:7).



IV - MUDANÇAS NA NATUREZA DURANTE O MILÊNIO

         Assim como o homem precisa ser regenerado (Tito 3:5), também a Terra vai precisar disto (Mateus 19:28, Romanos 8:22). Hoje em dia, ela continua sentindo o efeito da maldição que tem vigorado desde Gênesis 3.


Quando a terra for regenerada, alguns resultados serão:

1. -
 Os animais selvagens serão amansados (Isaías 11:5-8).

2. - O sol e a lua serão 7 vezes mais brilhantes (Isaías 30:26).

3. - As águas do Mar Morto “tornar-se-ão saudáveis” (Ezequiel 47:8).

4. - O deserto florescerá (Isaías 35:1-2).

5. - Haverá quatro colheitas anuais (Amós 9:11-15; Levítico 26:2-6).

6. - Os espinhos e as ervas daninhas serão eliminados (Isaías 55:12-13).

7. - A produção de frutos será multiplicada (Ezequiel 36:30).



 

A ETERNIDADE


Introdução - A última dispensação na Bíblia é a eternidade, à qual é dispensada grande soma de atenção, nos últimos capítulos do Apocalipse. A Bíblia é um círculo, um Livro infinito.

Em Gênesis havia uma “árvore da vida”, a qual também é mostrada em Apocalipse 22:2.

O cordeiro de Abel é sacrificado como sacrifício, em Gênesis; o Cordeiro de Deus está em Apocalipse 21:23.

Em Gênesis, o paraíso é perdido; em Apocalipse, ele é recuperado.

Em Gênesis 1:1, lemos: “No princípio criou Deus o céu e a terra”; em Apocalipse 21:1, lemos: “E vi um novo céu e uma nova terra”.
Deus começa com o homem, em Gênesis 2:7, e termina com o homem, em Apocalipse 22.

A Bíblia é um círculo, infinita no escopo, cuja perfeição nenhuma mente finita consegue compreender totalmente.



A Nova Jerusalém 
Dizem que a Nova Jerusalém é a mãe de todo crente nascido de novo, na Era da Igreja. Vamos ver o que a Bíblia diz sobre ela, conforme Apocalipse 21:9-25:

“E veio a mim um dos sete anjos que tinham as sete taças cheias das últimas sete pragas, e falou comigo, dizendo: Vem, mostrar-te-ei a esposa, a mulher do Cordeiro. E levou-me em espírito a um grande e alto monte, e mostrou-me a grande cidade, a santa Jerusalém, que de Deus descia do céu. E tinha a glória de Deus; e a sua luz era semelhante a uma pedra preciosíssima, como a pedra de jaspe, como o cristal resplandecente. E tinha um grande e alto muro com doze portas, e nas portas doze anjos, e nomes escritos sobre elas, que são os nomes das doze tribos dos filhos de Israel. Do lado do levante tinha três portas, do lado do norte, três portas, do lado do sul, três portas, do lado do poente, três portas. E o muro da cidade tinha doze fundamentos, e neles os nomes dos doze apóstolos do Cordeiro. E aquele que falava comigo tinha uma cana de ouro, para medir a cidade, e as suas portas, e o seu muro. E a cidade estava situada em quadrado; e o seu comprimento era tanto como a sua largura. E mediu a cidade com a cana até doze mil estádios; e o seu comprimento, largura e altura eram iguais. E mediu o seu muro, de cento e quarenta e quatro côvados, conforme a medida de homem, que é a de um anjo. E a construção do seu muro era de jaspe, e a cidade de ouro puro, semelhante a vidro puro. E os fundamentos do muro da cidade estavam adornados de toda a pedra preciosa. O primeiro fundamento era jaspe; o segundo, safira; o terceiro, calcedônia; o quarto, esmeralda; o quinto, sardônica; o sexto, sárdio; o sétimo, crisólito; o oitavo, berilo; o nono, topázio; o décimo, crisópraso; o undécimo, jacinto; o duodécimo, ametista. E as doze portas eram doze pérolas; cada uma das portas era uma pérola; e a praça da cidade de ouro puro, como vidro transparente. E nela não vi templo, porque o seu templo é o Senhor Deus Todo-Poderoso, e o Cordeiro. E a cidade não necessita de sol nem de lua, para que nela resplandeçam, porque a glória de Deus a tem iluminado, e o Cordeiro é a sua lâmpada. E as nações dos salvos andarão à sua luz; e os reis da terra trarão para ela a sua glória e honra. E as suas portas não se fecharão de dia, porque ali não haverá noite”.



Excerto do trabalho do Dr. James Modlish - “MYSTERY OF THE AGES”

Traduzido por Mary Schultze, em Novembro 2008.

 www.cpr.org.br/Mary.htm