sábado, 30 de março de 2013

A alegria do crente



Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos - Filipenses 4:4

O consumismo, programas de humor na televisão, os chamados “agitos”, dentre tantas outras coisas prometem nos dar alegria. Humoristas, animadores de auditório e até locutores de rádio, tentam passar uma alegria ao público que muitas vezes eles mesmos não possuem. 

Um amigo que trabalhava como locutor em uma rádio me disse que mesmo estando triste não se pode demonstrar na rádio. Segundo ele, quando os ouvintes ligam o aparelho de som, já o fazem para se alegrar.

Agora imaginem se ao ligarem o rádio as pessoas encontrassem alguém falando com ar de desânimo ou de tristeza. Esta é a vida dos “alegres profissionalmente”: precisam sorrir por fora, enquanto choram por dentro.

Por outro lado temos a “alegria cristã”, alegria essa que é verdadeira, pois é fruto do Espírito conforme nos diz o Apóstolo Paulo em Gálatas 5.22. Mas no que consiste essa alegria?

Essa alegria consiste primeiramente na execução da justiça. O justo se alegra quando age da forma correta e de conformidade com a vontade do Senhor. "Quando se faz justiça, o justo se alegra, mas os malfeitores se apavoram" - Provérbios 21.15. Ele não apenas se alegra, mas recebe do próprio Deus a felicidade: "Ao homem que o agrada, Deus recompensa com sabedoria, conhecimento e felicidade" - Eclesiastes 2.26. 

As mulheres que engravidam pensam em grandes coisas para seus filhos e se alegram nestes planos, fico imaginando a alegria de Maria quando soube que conceberia o Salvador, sendo Ele o próprio Deus encarnado. Que felicidade ela deve ter sentido. Mas Jesus ensina que até o simples ato sincero de ouvir e guardar a Palavra de Deus gera uma felicidade ainda maior na vida do justo. "Feliz é a mulher que te deu à luz e te amamentou. Ele respondeu: Antes, felizes são aqueles que ouvem a palavra de Deus e lhe obedecem".

A alegria cristã também se expressa no servir. O apóstolo Paulo ensina, recordando as palavras de Jesus, que "mais [feliz] é aquele que pode ajudar do que aquele que precisa ser ajudado" - Atos 20.35. Sem dúvida, está em melhor condição aquele que ajuda o necessitado, porque Deus já tem suprido a sua necessidade. Ajudar alguém não é um fardo, é uma alegria!

Há alegria também no servir a Deus. Davi, por exemplo, disse: "Alegrei-me quando me disseram: vamos à casa do Senhor" - Salmo 122.1. O mesmo tom está presente noutro salmo: "Celebrai com júbilo ao Senhor, todos os habitantes da terra. Servi ao Senhor com alegria, e apresentai-vos a ele com cântico" - Salmo 100.1,2. Essa alegria partiu de um coração grato pelas vitórias conseguidas em Deus. Da mesma forma nós devemos nos alegrar ao servi-lo, pois Jesus nos trouxe a maior alegria de todas: a de ser salvo, a de não haver mais condenação para os que nEle estão.

Por fim, a alegria cristã também se manifesta na esperança. "Alegrem-se na esperança", afirma Paulo em Romanos 12.12. Do que se trata esta esperança? Certa vez ouvi a seguinte frase: Não diga a Deus que você tem um grande problema, diga ao problema que você tem um grande Deus.

Esta esperança é a de receber o auxílio de Deus nas tribulações, “esperar paciêntemente sua ajuda, perseverar na oração” - Romanos 12.12. É também a esperança da Segunda Vinda de Cristo, pois todos verdadeiros cristãos já têm os seu nomes "escritos no céu" - Lucas 10.17 a 20

E você, tem experimentado a verdadeira alegria?

--------------------------------------------------
Danilo Cassemiro de Campos é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil.