segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

A Casa do Pao - Luis D. S. de Campos


A primeira leitura será no livro de Rute 1:1-3: “E sucedeu que, nos dias em que os juízes julgavam, houve uma fome na terra: pelo que um homem de Belém de Judá saiu a peregrinar nos campos de Moabe, ele e sua mulher, e seus dois filhos. E era o nome deste homem Elimeleque, e o nome de sua mulher Noemi, e os nomes de seus filhos Malom e Quiliom , efrateus, de Belém de Judá: e vieram aos campos de Moabe , e ficaram ali. E morreu Elimeleque , marido de Noemi; e ficou ela com seus dois filhos...” (Rt 1:1-3).

Elimeleque tomou sua esposa e filhos e saiu da cidade em que moravam, Belém de Judá, que era também a sua cidade. Porque eles saíram de lá? Eles foram embora porque “houve uma fome na terra” e assim Elimeleque resolveu tomar sua família e sair de lá em busca de um lugar onde pudessem encontrar comida. Mas, como você verá, Elimeleque cometeu um erro muito grave. 

Você já ouviu a palavra Betel? Abraão ergueu um altar em Betel, sacrificou ao Senhor e O adorou nesse lugar. Betel que dizer “casa de Deus”. E Belém, você sabe o que quer dizer? “Casa do pão”. Elimeleque estava saindo da “casa do pão” para buscar comida em outro lugar. Por que Deus, Jeová, o Deus de Israel permitiu que houvesse fome na “casa do pão”(Belém)? Para prová-los, pois aquela era uma hora de provação.

Belém, como já diz o próprio nome, era um local onde Deus tinha os Seus propósitos, e de onde viria toda a bênção; o local onde nasceria o Senhor Jesus, o Verdadeiro Pão. Foi de lá que Elimeleque saiu; da saiu da “casa do pão” porque entendeu que ali não haveria comida, preferindo se aventurar nas terras de Moabe. No fim da história ele morre e morrem também seus filhos, até que mais tarde voltam para lá Noemi e Rute, sua nora. Elas voltam a Belém porque Noemi sabia que lá seria o local onde Deus iria abençoá-las.

O que isso quer dizer para nós? Belém era onde o Senhor abençoava. Hoje nós temos a assembleia, onde Deus nos dá o alimento. Graças ao Senhor nós temos o privilégio de estudar a Palavra em nossas casas, recebermos do Senhor nosso manancial de cada dia e termos esse gozo. Mas entendemos que a assembleia, onde o povo de Deus se reúne, é um local especial, mais ou menos como a “casa do pão”, que é onde recebemos o “Pão” que é o próprio Senhor Jesus, do Qual tudo provém.
Como Ele próprio disse: “Eu sou o pão que desceu do céu” (Jo 6:41). Só que às vezes nós somos provados; às vezes nós passamos fome nesse lugar. Por quê? Por causa da nossa dureza. Às vezes isso acontece também por estarmos descontentes com nossos irmãos, talvez por querermos outras coisas ou por acreditar que o mundo nos oferecerá muito mais do que Deus tem para nós.

No capítulo 10 do Evangelho de Lucas também encontramos algo sobre isso: 
“E, respondendo Jesus, disse: Descia um homem de Jerusalém para Jericó, e caiu nas mãos de salteadores, os quais o despojaram, e, espancando-o, se retiraram, deixando-o meio morto. E ocasionalmente descia pelo mesmo caminho certo sacerdote; e vendo-o, passou de largo. E de igual modo também um levita, chegando àquele lugar, e vendo-o, passou de largo. Mas um samaritano, que ia de viagem, chegou ao pé dele, e, vendo-o, moveu-se de íntima compaixão: E, aproximando-se, atou-lhes as feridas, deitando-lhes azeite e vinho; e, pondo-o sobre a sua cavalgadura, levou-o para uma estalagem, e cuido dele. E, partindo ao outro dia, tirou dois dinheiros, e deu-os ao hospedeiro, e disse-lhe: Cuida dele; e tudo o que de mais gastares eu to pagarei  quando voltar. Qual, pois, destes três  te parece que foi o próximo daquele que caiu nas mãos dos salteadores? E ele disse: O que usou de misericórdia para com ele. Disse, pois, Jesus: Vai, e faze da mesma maneira.” (Lc 10:30-37). 

Esse homem saiu de Jerusalém, local onde Deus havia escolhido para o Seu nome habitar; esse homem estava lá, tinha o lugar de adoração, tinha tudo para ele, pois lá era a casa de Deus, mas ele saiu para ir para Jericó. Se você conhece a história de Jericó sabe que esse foi um lugar de maldição. Jericó é um péssimo lugar construído à custa do sacrifício de seus filhos, pois como fora predito por Deus a reedificação dos muros de Jericó seria feita à custa de seus filhos. E agora vemos este homem saindo justamente do lugar de bênção, Jerusalém, para ir a Jericó. Muitas vezes nós achamos que esse lugar -- a assembleia -- não está bom, devido a certas controvérsias, desconfortos ou mesmo por esquecermos de que a aparência desse mundo passa. Às vezes nós achamos que a alegria deste mundo vai ser muito mais confortante para nós do que as coisas do Senhor. E dizemos: ‘Ah, estou cansado. Tantas vezes já ouvi essas coisas’. Isto acontece principalmente com os que são jovens, e eu sei que é difícil. O mundo está pressionando de uma forma tal a fazer vocês desistirem do caminho do Senhor. E isso ele faz sorrateiramente. Ele não joga de modo escancarado.

Outro exemplo que temos é a parábola do filho pródigo. Ele tomou tudo o que tinha, pensando nos direitos que tinha, e foi embora acreditando que viveria uma vida maravilhosa. Enquanto tinha dinheiro tudo estava uma maravilha, vivendo dissolutamente em uma terra longínqua e cheio de amigos. E é assim que acontece em nossa vida também: quando você está rico, tem muitos amigos, mas quando você cai na pobreza pode até ligar que eles não irão atender, e isto eu digo literalmente. E foi isso o que aconteceu com ele. Veio fome na terra em que ele estava e começou a passar necessidades, indo se agregar aos fazendeiros que o mandaram tratar de porcos. Mas foi aí que ele começou a cair em si. 


"E, tornando em si, disse: Quantos jornaleiros de meu pai tem abundância de pão, e eu aqui pereço de fome! Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti; já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como uns dos teus jornaleiros. E, levantando-se , foi para o seu pai: e, quando ainda estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima compaixão, e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou. E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e perante ti, e já não sou digno de ser chamado teu filho.  Lucas 15:17-21. Mas ele não disse “pai, trata-me como um dos seus servos”, porque viu que era filho, que aquela era a sua casa. Ele não poderia se considerar um empregado, pois sempre iria ser o filho. 

O pai estava esperando, e de longe ele o viu. Assim também é Deus para conosco, Ele nos ama, e seja qual for a circunstância, Ele está esperando. O que aconteceu com aquele homem que saiu de Jerusalém é o mesmo que aconteceu com o filho pródigo. Essas são circunstâncias que Deus permite para que nós não cheguemos ao destino onde pensávamos poder chegar.

Providência de Deus