segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

O "escudo da fé" não protege nada!





É fácil identificar um carro de crente nas ruas, através dos jargões do evangeliquês atual e dos famosos “amuletos” cristãos colados no vidro traseiro. A mais nova moda é o “escudo da fé”. “Mas isso é um amuleto, pastor?” Bem, um amuleto é um objeto ou símbolo usado por um indivíduo junto ao corpo, geralmente pendurado no pescoço ou amarrado ao braço; ou ainda exposto em algum local de sua propriedade com o objetivo de trazer proteção e sorte. Será que se enquadra? É, como crente não acredita em sorte, essa parte fica de fora. Os amuletos cristãos só servem para trazer proteção mesmo.

A maioria das pessoas que colam o adesivo do “escudo da fé” nos seus carros realmente acreditam que seus carros serão protegidos por Deus, como resultado. Se você é um dos adeptos da nova onda, tenho uma triste notícia pra você: o “escudo da fé” não protege seu carro de nada. Atitudes como esta, de colar adesivos nos carros com símbolos e palavras de ordem do tipo: “este carro pertence ao Senhor”, “protegido por Deus”, “foi Deus quem me deu”, não tem qualquer efeito no “mundo espiritual”, como acredita a massa evangélica brasileira.

Comportamentos supersticiosos como este não resultam de uma fé verdadeira ou de uma compreensão correta da Escritura Sagrada. São fruto do imaginário popular, de resquícios da mentalidade espiritista e catimbozeira que importamos dos cultos afro-brasileiros e das tradições indígenas para o culto e crenças evangélicas. Não, o escudinho da fé não protege o seu carro, sem que você sequer tenha compreendido o que é ter fé em Deus. Ter fé significa colocar toda nossa confiança única e exclusivamente no Senhor Jesus, não em objetos e símbolos. 

O escudo da fé citado pelo apóstolo Paulo em Efésios 6.16 é resultado da preparação do evangelho da paz mencionado no versículo 15. Você só conseguirá vencer os dardos inflamados do maligno se estiver bem preparado pela Palavra, ricamente cheio da Palavra da verdade. Foi com esse escudo que Jesus venceu o maligno no deserto durante os 40 dias e 40 noites de tentação. Todas as Suas respostas a Satanás foram antecedidas por um “ESTÁ ESCRITO”, mostrando o quanto Ele tinha a Palavra de Deus por fiel e verdadeira, firmando-se nela, e não cedendo às tentações do maligno. 

A Bíblia é a base de nossa fé. Nossas batalhas são vencidas à medida que crescemos em nossa confiança no Deus revelado nas Escrituras. É Ele, e somente Ele, poderoso para nos guardar e também a tudo que temos. Salmo 7.10 é claro: “o meu escudo é Deus, que salva os retos de coração”. Veja o que mais a Escritura Sagrada diz: “Toda a Palavra de Deus é pura; escudo é para os que confiam nele” (Provérbios 30.5); “A nossa alma espera no SENHOR; ele é o nosso auxílio e o nosso escudo” (Salmo 33.20); “Tu és o meu refúgio e o meu escudo; espero na tua palavra” (Salmo 119.114); “O SENHOR é a minha força e o meu escudo; nele confiou o meu coração, e fui socorrido [...]” (Salmo 28.7).

O escudo da fé que funciona jamais foi ou será qualquer forma de símbolo ou adesivo colado nos vidros dos carros. Nossa confiança no Senhor é a única garantia de que seremos guardados de todo mal. Ele sim é nosso escudo, nossa defesa. Precisamos, definitivamente, vencer essa nossa necessidade de amuletos, de símbolos, e desapegar-nos das superstições que carregamos com a crença de que estas são bênçãos da graça de Deus para o Seu povo. Que o Senhor nos ajude a confiar em Sua Palavra, que é fiel; e em Seu caráter, que é imutável. Soli Deo Gloria.

***
Fonte: Soli Deo Gloria
.