segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Quando os magos do oriente foram adorar a Cristo?


.


E, tendo nascido Jesus em Belém de Judéia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do oriente a Jerusalém, Dizendo: Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? Porque vimos a sua estrela no oriente, e viemos a adorá-lo”. (Mateus 2:1-2)

A maioria das pessoas acreditam que os magos do Oriente se encontraram com Cristo enquanto ele ainda estava na manjedoura, tendo acabado de nascer. Essa ideia é perpetuada por quadros e presépios que mostram os magos do Oriente diante da sagrada família, na manjedoura. Mas esse cenário não condiz com a narrativa bíblica. O Evangelho segundo S. Mateus é muito claro que os magos se encontraram com o bebê Jesus, não mais quando estavam na manjedoura, mas em uma “casa” (Mt 2:11), o que aconteceu, provavelmente, cerca de dois anos depois de Cristo ter nascido.

Harmonizando os Evangelhos

Os Evangelhos segundo Mateus e Lucas são os únicos que entram em detalhes sobre as circunstâncias do nascimento de Cristo. Marcos já começa narrando Seu ministério público e o de João Batista. E o Evangelho de João, logo depois de falar sobre a Divindade de Cristo e Sua encarnação também pula direto para Seu ministério público e o de João Batista. Somente Mateus e Lucas narram as circunstâncias de Seu nascimento. Todavia, eles dão detalhes diferentes. Isso levou alguns críticos no decorrer da história a criticar a veracidade das duas narrativas, alegando que elas se contradizem. Mas quando analisamos cuidadosamente a informação que recebemos dos dois Evangelhos, fica claro que não há qualquer contradição nos fatos narrados, as duas narrativas se harmonizam perfeitamente.

Lucas começa seu Evangelho falando do anúncio do nascimento de João Batista pelo anjo Gabriel ao seu pai, enquanto este ministrava como sacerdote no templo (Lc 1:5-23), passa para o anúncio do nascimento de Cristo a Maria, também pelo anjo Gabriel (Lc 1:26-35) e depois fala sobre o nascimento dos dois (Lc 1:57-80; 2:1-40). Nada disso é narrado pelo Evangelho de Mateus. Como será demonstrado a seguir, todos os eventos narrados em Lucas 2:1-40, sobre o nascimento de Cristo, devem ser entendidos como uma explicação detalhada do que aconteceu em Mateus 1:25, antes de Mateus 2:1: “deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe por nome Jesus” (Mt 1:25). E tudo o que é narrado no segundo capítulo de Mateus, começando pela chegada dos magos do Oriente, deve ser entendido como tendo acontecendo depois de Lucas 2:39, no decorrer do período descrito pelo verso 40: “E o menino crescia, e se fortalecia em espírito, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele”.

A visita dos magos e a fuga para o Egito

Quando os magos do Oriente chegam para visitar Jesus, ele já tinha nascido. “E, tendo nascido Jesus em Belém de Judéia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do oriente a Jerusalém, Dizendo: Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? porque vimos a sua estrela no oriente, e viemos a adorá-lo”. (Mt 2:1-2) Aqui é importante observar que o texto diz somente que Cristo já tinha nascido, mas não diz há quanto tempo ele tinha nascido. Em nenhum momento é dito que tinha acabado de nascer. Pelo contrário, no decorrer do diálogo entre os magos e o rei Herodes, temos evidência de que Ele já tinha cerca de dois anos:
E o rei Herodes, ouvindo isto, perturbou-se, e toda Jerusalém com ele. E, congregados todos os príncipes dos sacerdotes, e os escribas do povo, perguntou-lhes onde havia de nascer o Cristo. E eles lhe disseram: Em Belém de Judéia; porque assim está escrito pelo profeta: E tu, Belém, terra de Judá, De modo nenhum és a menor entre as capitais de Judá; Porque de ti sairá o Guia Que há de apascentar o meu povo de Israel. Então Herodes, chamando secretamente os magos, inquiriu exatamente deles acerca do tempo em que a estrela lhes aparecera. (Mateus 2:3-7)

Aqui é muito importante observar que o rei Herodes queria saber exatamente quando a estrela apareceu. Ou seja, os magos receberam a revelação do nascimento de Cristo por meio de uma estrela e o rei Herodes queria saber quando eles tinham visto essa estrela para, com base nisso, calcular há quanto tempo Cristo havia nascido. Foi com base nisso que ele mandou matar as crianças:
Então Herodes, vendo que tinha sido iludido pelos magos, irritou-se muito, e mandou matar todos os meninos que havia em Belém, e em todos os seus contornos, de dois anos para baixo, segundo o tempo que diligentemente inquirira dos magos. (Mateus 2:16)

Se ele mandou matar as crianças de dois anos para baixo, com base no testemunho dos magos, isso indica que Cristo teria nascido dois anos antes e esse havia sido o tempo que eles demoraram para sair do Oriente e chegarem em Jerusalém, desde quando receberam a revelação. Não é dito exatamente de que lugar eles vieram do Oriente, mas existem grandes possibilidades de que eles vieram do Império Arsácida, que existia ao oriente do Império Romano, o que, sem dúvidas, teria sido uma viagem longa e difícil. Ou possivelmente, eles teriam vindo da Índia, o que seria uma viagem ainda mais longa. Não temos como saber ao certo de onde eles vierem, mas o fato de virem do Oriente indica que a distância teria sido, no mínimo, um importante fator para que a viagem fosse demorada.

Além disso, é importante observar um detalhe que é frequentemente apontado por críticos como uma contradição entre as duas narrativas. Segundo o Evangelho de Mateus, os magos encontraram com Cristo em uma “casa… com Maria sua mãe” (Mt 2:11) em Belém (v. 8). Depois disso, a família sagrada foi para o Egito, onde morou por um tempo: “E, levantando-se ele, tomou o menino e sua mãe, de noite, e foi para o Egito. E esteve lá, até à morte de Herodes”. (Mateus 2:13-15) Todavia, segundo o Evangelho de Lucas, depois do nascimento, circuncisão e apresentação de Cristo no templo, a família sagrada “voltou à Galiléia, para a sua cidade de Nazaré” (Lc 2:39). É dito que a família já morava lá (Lc 2:4), que eles somente foram até Belém por causa do alistamento (v. 2). Ou seja, eles moravam em Nazaré, foram até Belém, foram até Jerusalém para apresentar a criança e depois voltaram para Nazaré. Depois disso, não há maiores detalhes sobre outros lugares para onde eles teriam ido, mas, é dito que “todos os anos iam seus pais a Jerusalém à festa da páscoa” (Lc 2:41). Isso significa que, para os magos terem encontrado com Jesus em Belém, é preciso que, depois deles terem voltado para Nazaré, onde eles já moravam, eles teriam voltado novamente para Belém, cerca de dois anos depois. Dois anos é tempo suficiente para que, por algum motivo, eles tivessem ido a Belém de novo. Estando lá, eles se encontraram com os magos e, então, fugiram para o Egito. E o período em que permaneceram no Egito tem que necessariamente ter sido menos de um ano, para que houvesse tempo para que fosse possível que estivessem todos os anos em Jerusalém na festa da Páscoa. Sendo assim, eles teriam fugido para o Egito em algum momento logo depois da festa da Páscoa e teriam voltado em algum momento antes da festa da Páscoa do ano seguinte. Desta maneira, as duas narrativas se harmonizam perfeitamente, sem qualquer contradição. Então, para resumir:

1. O anjo visita Maria e ela concebe do Espírito Santo (Mateus 1:18; Lucas 1:27-28).

2. Maria imediatamente vai visitar Isabel, sua prima e fica por três meses (Lucas 1:39-56).

3. José, em algum momento destes três meses, enquanto Maria estava na casa de Isabel, decide abandonar Maria, sendo impedido pelo anjo (Mateus 1:19-24).

4. João Batista nasce e é circuncidado (Lucas 1:57-79).

5. José se casa com Maria em algum momento depois dela voltar da casa de Isabel (Mateus 1:24).

6. José e Maria saem de Nazaré e vão até Belém por conta do alistamento (Lucas 2:1-5).

7. Enquanto eles estavam em Belém, Jesus nasceu na manjedoura, por não haver lugar para eles na estalagem, provavelmente pela grande quantidade de pessoas que lá havia para o alistamento (Lucas 2:6-20).

8. Eles saem de Belém, depois que nasceu, e vão até Jerusalém para apresentar Jesus no templo (Lucas 2:22-38).

9. Eles voltam para Nazaré e continuam a morar lá (Lucas 2:39).

10. Em algum momento, até dois anos depois, eles voltam para Belém (Mateus 2:8-11).

11. Estando eles em Belém, os magos do Oriente chegam em Jerusalém e se encontram com o rei Herodes para perguntar sobre o Seu nascimento (Mateus 2:1-2).

12. O rei Herodes envia os magos até Belém (Mateus 2:8).

13. Os magos, guiados novamente pela estrela, chegam até uma casa onde estava Maria com o bebê Jesus, onde eles prestam culto a Cristo e o presenteiam com “tesouros” de “ouro, incenso e mirra”. (Mateus 2:9-11)

14. Os magos voltam para o Oriente, por conta de uma revelação de Deus (Mateus 2:12).

15. José recebe uma revelação em sonho, para que fugisse ao Egito, o que eles fazem imediatamente (Mateus 2:13-14).

16. O rei Herodes manda matar todas as crianças de dois anos para baixo que havia em Belém (Mateus 2:16).

17. A sagrada família permaneceu no Egito, por menos de um ano, até a morte do rei Herodes (Mateus 2:15,22).

18. A família voltou para Nazaré (Mateus 2:22,23).

***
Fonte: Resistir e Construir