quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

A Glória do Natal


Por R.C. Sproul


Na noite em que Jesus nasceu algo espetacular aconteceu. As planícies de Belém se tornaram um teatro para uma das mais espetaculares apresentações de som e luz na história humana. Todo o Céu apareceu.

Lucas nos relata o que aconteceu:

Havia, naquela mesma região, pastores que viviam nos campos e guardavam o seu rebanho durante as vigílias da noite. E um anjo do Senhor desceu aonde eles estavam, e a glória do Senhor brilhou ao redor deles; e ficaram tomados de grande temor. O anjo, porém, lhes disse: Não temais; eis aqui vos trago boa-nova de grande alegria, que o será para todo o povo:  é que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor. E isto vos servirá de sinal: encontrareis uma criança envolta em faixas e deitada em manjedoura.
E, subitamente, apareceu com o anjo uma multidão da milícia celestial, louvando a Deus e dizendo: Glória a Deus nas maiores alturas, e paz na terra entre os homens, a quem ele quer bem. (Lucas 2:8-14)

O visitante angelical foi cercado pela glória de Deus. A glória estava brilhando. Essa glória não pertencia ao próprio anjo. Era a glória de Deus, significando Seu modo divino de Ser. Era o esplendor divino que envolveu o mensageiro celestial, um visível brilho divino.

Quando os pastores de Belém tremeram de medo, eles foram admoestados pelo anjo: “O anjo, porém, lhes disse: Não temais; eis aqui vos trago boa-nova de grande alegria, que o será para todo o povo: é que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor.”( Lucas 2:10-11).

Todo ser humano anseia por um salvador de algum tipo. Nós olhamos para alguém ou algo que irá resolver os nossos problemas, aliviar a nossa dor, ou conceder o objetivo mais esquivo de tudo, a felicidade. Da procura de sucesso nos negócios até a descoberta de um companheiro perfeito ou amigo, nós fazemos nossa busca.

Mesmo na preocupação com o esporte, mostramos uma esperança de um salvador. Quando uma temporada desportiva termina com perdedores muito mais do que vencedores, ouvimos o grito de cidades de todo o país – “Espere até o próximo ano” Depois vem o projeto ou uma nova safra de novatos, e os fãs depositam suas esperanças e sonhos sobre o novo garoto que trará glória para a equipe. O novato, o novo cliente, a nova máquina, a notícia de que vai chegar ao correio de amanhã – todos estão investidos com mais esperança do que qualquer criatura pode eventualmente entregar.

A explosão de luz que inundou os campos de Belém anunciou o advento de um Salvador que foi capaz de, de fato, cumprir a tarefa.

Notemos que o Salvador recém-nascido é também chamado de “Cristo, o Senhor.” Para os pastores espantados esses títulos estavam carregados de significado. Este Salvador é o Cristo, o Messias esperado de Israel. Todo judeu se lembrou da promessa de Deus de que um dia o Messias, o ungido do Senhor, viria para libertar Israel. Esse Messias-Salvador é também Senhor. Ele não só vai salvar o seu povo, mas ele será seu rei, seu Soberano.

O anjo declarou que esse Salvador-Messias “vos” nasceu. A proclamação divina não é um oráculo de julgamento, mas a declaração de um presente. O Rei recém-nascido nasceu para nós.
______________________
Por: R. C. Sproul. Extraído do site ligonier.org. © 2012 Ligonier Ministries. Original: The Glory of ChristmasTradução:www.voltemosaoevangelho.com. Original: R. C. Sproul – A Glória do Natal