domingo, 5 de janeiro de 2014

Toda a terra está cheia da Sua glória - R. C. Sproul




Santo, santo, santo é o SENHOR dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória.  (Is 6:3)
Neste vídeo (4 min.), R. C. Sproul reflete sobre a onipresença da glória de Deus na criação, baseado em Isaías 6:1-3.

Transcrição

Em Isaías 6, quando ele teve aquela visão na ocasião do seu chamado para ser um profeta, recordamos do canção dos anjos na presença de Deus que cantavam: “Santo, santo, santo é o SENHOR dos Exércitos.” Mas o que mais a música contém? “Toda a terra está cheia da sua glória.” Então, você vê a antítese? 
Você vê a colisão entre o secularismo radical de pessoas como Jean-Paul Sartre e o ensino da Escritura? O ensino das Escrituras não é que o santo e sagrado estão em algum âmbito escondido, alguma esfera esotérica, onde apenas os mais brilhantes pensadores da elite podem penetrar para encontrar um vislumbre ligeiro do santo.

Pelo contrário, toda a terra está cheia da glória de Deus. Então, por que temos essa sensação do profano? Bem, Calvino respondeu a essa pergunta dizendo que “toda a criação é um teatro glorioso, como se estivesse gritando, manifestando claramente a santidade de Deus, mas nós estamos cegos a isso.” 
Mas a cegueira é uma cegueira voluntária. Nós somos como seres humanos que transitam neste teatro glorioso com os olhos vendados. Vendas que colocamos em nossos próprios olhos para não ver o santo e sagrado, porque não há nada mais terrível para criaturas pecadoras do que ser exposto ao santo.

É isso o que vemos nesta história. Moisés vê a sarça ardente que não é consumida; e nos é dito na narrativa que ele se vira para o lado para observá-la. Enquanto ele se vira, olhando na direção da sarça, ele não está satisfeito em observá-la à distância; ele começa a caminhar em direção à sarça. 
Ele começa a se aproximar dela, e ao se aproximar, de repente, a voz sai da sarça, chamando-o pelo nome, dizendo: “Moisés, Moisés, pare aí mesmo! Não se achegue, não se aproxime. Em vez disso, tire seu calçado, tire as sandálias dos pés, pois o lugar em que você está é terra santa.”
Por: R. C. Sproul. Extraído do site ligonier.org. © 2012 Ligonier Ministries. Original: R.C. Sproul on the Ubiquity of God’s Glory in Creation
Tradução: Vinícius Musselman Pimentel – Editora Fiel © Todos os direitos reservados