quarta-feira, 31 de outubro de 2012

O efeito da luz sobre as trevas - C. Buchanan


Os privilégios dos verdadeiros seguidores de Cristo, em permanecerem firmes e serem sinceros em sua profissão cristã, nunca foram tão grandes ou mais difíceis do que o são hoje. Devido ao mal que predomina no mundo e ao abandono da luz antes conhecida ou professada na cristandade como um todo, qualquer luz vista no cristão brilha com maior intensidade. Nada expõe o mal ou a incredulidade mais do que o andar humilde, quieto e devotado de um cristão diligente e com uma mente celestial, o qual é divinamente instruído. Os homens odeiam ter sua maldade e incredulidade expostas e, por esta razão, odeiam a pessoa fiel que as expõe. Isso torna tudo mais difícil para o cristão.



A oposição à verdade é sentida de forma mais aguda, pelos seguidores fiéis de Cristo, quando provém daqueles que antes professavam a verdade, mas deixaram-na escapar. Tais pessoas têm uma consciência que outrora esteve esclarecida e ativa. Quando a luz volta a alfinetar uma consciência adormecida, o resultado é, com freqüência, um amargo rancor.

O presente mundo mau (Gl 1:4) é o lugar onde nos encontramos. As circunstâncias e as coisas ao nosso redor estão ficando tão escuras e más que temos que ficar extremamente vigilantes para não sermos afetados pelas próprias condições deste presente mundo mau. Sendo o que somos por natureza, existe uma tendência constante para a alma ficar ocupada com esse mal e até mesmo naufragar nele. Podemos até chegar a pensar que o mal é maior do que o bem. Chegar a este ponto é achar que o mal é maior do que Deus, mas Ele está bem acima de tudo. Ele é maior do que tudo e Ele é por nós, e é de grande importância contarmos com Ele.

A Palavra de Deus nos dá instruções e exortações neste presente mundo no tempo final quando a casa de Deus é chamada de grande casa (2 Tm 2:20). Enumeramos algumas:

"Fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus" (2 Tm 2.1).
"Não te envergonhes do testemunho de nosso Senhor" (2 Tm 1:8).
"Participa das aflições do evangelho" (2 Tm 1:8).
"Conserva o modelo das sãs palavras" (2 Tm 1:13).
"Sofre... as aflições como bom soldado de Jesus Cristo" (2 Tm 2:3).
"Sê sóbrio em tudo, sofre as aflições" (2 Tm 4:5).
"Permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido" (2 Tm 3:14).

Paulo diz acerca de si mesmo: "O Senhor me livrará de toda a má obra, e guardar-me-á para o Seu reino celestial" (2 Tm 4:18). Esta é também a nossa confiança, de forma que, mesmo quando vivemos em um mundo tão mau como este, podemos confiar em nosso Deus que é maior do que tudo. Ele bem cedo enviará nosso Senhor e Salvador para nos tirar da presença do mal.