sábado, 15 de dezembro de 2012

Absorvidos! - C. H. Spurgeon



Por C. H. Spurgeon


"Olhai para mim e sede salvos, vós, todos os termos da terra; porque eu sou Deus, e não há outro" (Is 45.22).

Esta é uma das maiores promessas. Ela é o alicerce da nossa vida espiritual. A salvação vem por meio desse olhar para ele que é "Deus justo e Salvador". Como a orientação é simples! "Olhai para mim." Como a exigência é razoável! E óbvio que a criatura deve olhar para seu Criador. Temos olhado para outros lugares por tempo demais; é tempo de olharmos somente para ele, o qual nos convida a esperarmos nele e promete dar-nos salvação.

Apenas um olhar! Será que não vamos olhar agora mesmo? Nada temos de levar conosco, a não ser esse olhar para o alto, para o Senhor em seu trono, para onde ele subiu da cruz. Olhar não requer preparação, nem grande esforço: não é preciso conhecimento nem sabedoria, riqueza nem força. Tudo o que precisamos está no Senhor nosso Deus, e se olharmos a ele para tudo, tudo será nosso e seremos salvos.

Venham, vocês que estão distante, olhem para cá! Extremos da terra, voltem os olhos para este lado! Assim como desde as regiões mais longínquas os homens podem ver o sol e usufruir de sua luz, quem se encontra à beira da morte, diante dos portões do inferno, pode com um só olhar receber a luz de Deus, a vida celestial, a salvação do Senhor Jesus Cristo que é Deus e, portanto, capaz para salvar.

Naqueles dias e naquele tempo, diz o Senhor, buscar-se-á a iniqüidade de Israel, e já não haverá; os pecados de Judá, mas não se acharão; porque perdoarei aos remanescentes que eu deixar (Jr 50.20).

Que palavras de fato gloriosas! Que perdão perfeito é aqui prometido às nações pecaminosas de Israel e Judá! O pecado será removido de tal modo que não será encontrado, e apagado de tal maneira que nenhum sequer restará. Glória seja dada ao Deus dos perdões!

Satanás procura pecados para nos acusar, nossos inimigos o fazem para nos responsabilizar por eles, e nossa própria consciência o faz mesmo com uma espécie de anseio mórbido. Todavia, quando o Senhor aplica o precioso sangue de Jesus, não tememos nenhum tipo de investigação, pois "iniquidade já não haverá" e "pecados não se acharão". O Senhor fez deixar de existir os pecados do seu povo: ele pôs fim à transgressão e deu cabo do pecado. O sacrifício do Senhor Jesus lançou os pecados nas profundezas do mar. Isso nos faz dançar de alegria.

A razão para apagar o pecado reside no fato de que o próprio Jeová perdoa seus escolhidos. Suas palavras de graça não são apenas reais, mas divinas. Ele diz.- "absolvição", e somos absolvidos. Ele opera a expiação e, a partir daí, seu povo está além de todo medo de condenação. Bendito seja o nome do Deus que aniquila o pecado!


.