domingo, 7 de junho de 2015

D'us se arrepende?


Os sentimentos de D'us funcionam de forma diferente dos do homem.
Os sentimentos do homem são distorcidos pelo pecado, isto é, quando ele sente, pode agir de forma contrária do que está sentindo. Já os sentimentos de D'us são tão puros e verdadeiros que se aproximam da ação, ou melhor, quando Ele sente, já está agindo simultaneamente de acordo com aquele sentimento.
Então quando vemos na Bíblia que D'us lembrou de Noah no dilúvio (mas Ele esquece?), que descansou no sétimo dia (mas Ele fica cansado?), ou que se arrependeu de criar o homem, temos outra dinâmica. Quer dizer que está realizando UMA AÇÃO.
O homem, por causa da queda, pode desvincular o seu sentimento da ação, mas para D'us, por causa de Sua sublime Santidade que envolve também sublime sinceridade, todo sentimento é ação, movimento.
Isso nos dá um sinal do que é realmente santidade.
Quanto mais santo o homem for, mais as suas atitudes condizem com os seus sentimentos, sem dissimulação. Então quando D'us fala: "Sede santos, como Eu sou Santo." está dizendo também:
"Sede sinceros, como Eu sou sincero".
Enfim, quando D'us:
1.Descansou, verbo "shavat" em hebraico (Gênesis 2.2), Ele cessou o processo criativo.
2.Se lembrou de Noah (Gênesis 8.1) Ele "deu uma atenção especial a ele"naquele momento.
3.Quando derrama a sua ira, já está agindo para a destruição e quando abençoa já está atendendo às necessidades do justo.
A dificuldade de se entender o arrependimento de D'us é que existem dois textos que a princípio são contraditórios:
Gênesis 6.6: "D'us se arrependeu de ter feito o homem na terra."
וַיִּנָּחֶם יְהוָה, כִּי-עָשָׂה אֶת-הָאָדָם בָּאָרֶץ
Números 23.19: "(D'us) não é humano para ser falso, nem mortal para que Ele se arrependa".
לֹא אִישׁ אֵל וִיכַזֵּב, וּבֶן-אָדָם וְיִתְנֶחָם
O problema dos textos acima está na tradução. Às vezes, o tradutor com o intuito de ajudar o entendimento, coloca um pouco de sua interpretação.
Mas sem a ajuda do hebraico podemos eliminar a dificuldade dos textos apenas com o CONTEXTO. Enquanto no texto de Gênesis 6.6 vemos um relato de fatos históricos de Israel pelo o autor do livro ( citado pelos judeus como Moisés), a frase do versículo de Números 23.19 foi dita por Balaão, uma pessoa altamente dissimulada, com altos e baixos de espiritualidade.
Balaão até desejou ser portador da palavra de D'us, mas titubeou várias vezes se deixando levar pela vaidade e pela ansiedade. A vaidade surgiu quando chegou a segunda comitiva de Barak, maior e mais honrada (Números 22.15). A irritação de D'us com Balaão em Números 22.22 se deve à sua ansiedade. No texto da Torá Viva anotada por Rabino Aryeh Kaplan:
"D'us manifestou irritação (porque Bil'am estava tão ansioso para ir) e um anjo de D'us plantou-se na estrada para se opor a ele."
Ao chegar até Barak, Balaão passou a misturar a mensagem de D'us com as suas próprias idéias, fazendo assim um jogo de palavras para agradar a todos.
Exegese dos textos:
Enquanto em Gênesis 6.6 vemos no hebraico um sujeito para uma ação, isto é, D'us (sujeito) se arrependeu (ação), em Números 23.19 não há sujeito.
O texto original é assim:
"O que D'us declarou?" perguntou Balak.
(Balaão)Proclamou o seu oráculo e disse: "Levanta, Balak, e ouve: presta bem atenção à minha visão, filho de Tsipor." Não é humano para que ele seja falso, nem mortal para se arrepender (ou mudar de pensamento)".
Ou seja, Balaão trabalhou com as palavras de tal forma que omitiu o sujeito para Balak subentender que ele estava falando de D'us. Na verdade ele teve muito medo de mencionar o Santo Nome divino porque teve uma mistura de sentimentos.
As nossas traduções mencionam o Nome de D'us onde não tem, porque é muito comum no texto hebraico bíblico o sujeito ser omitido, estando "escondido" no verbo.
O homem se arrepende de uma ação que cometeu no passado. O arrependimento de D'us já está concluído e paira na Eternidade, porque Ele é Onipresente e vive simultaneamente no passado, presente e futuro. Em Gênesis 6.6 D'us mudou a sua atitute em relação ao Homem.
Portanto, enquanto no seu arrependimento o homem pode ou não mudar de atitude, o arrependimento de D'us é genuíno, mudando Ele definitivamente de uma ação para outra.
Obs: o verbo hebraico para "arrepender-se" inserido nos dois textos contraditórios (Gênesis 6.6 X Números 23.19) é o mesmo, a diferença está em quem está dizendo. No primeiro, o inspirado autor de Gênesis, no segundo, o dissimulado Balaão.
Prof. Gláucia Vilela
http://telahebraica.blogspot.com/