segunda-feira, 14 de março de 2011

Além do que os olhos vêem.


Além do que os olhos vêem.

Quando saímos as ruas e, observamos a nossa volta, ficamos estarrecidos.
Drogas consumindo nossos jovens, nossas crianças.
Prostituição (remunerada ou não), incluindo a infantil. 
Homossexualismo, como a grande atração da mídia televisiva.

O tremendo avanço da tecnologia, que, tem provocado a perda da fé de muitos, ou tornado as pessoas frias, com relação a Deus e sua Palavra.
A criminalidade que não para de crescer.

O que está acontecendo? A insensatez se apossa dos homens. 
(Rm. 1:21) “...porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças; antes, em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu”.

Homens que se bajulam e se adulam com mentiras, (Rm. 1:22-23).
Até falam de Deus, mas, vivem como se Ele não existisse, (Rm. 1:23).
E, tais homens recebem em si, a paga dos erros, (Rm. 1:24-27).

Uma das maiores atrocidades da humanidade, foi o holocausto dos judeus.
Eram perseguidos e confinados nos campos de concentração.
O tempo ia passando, a guerra se prolongava, e, com isso, a sensibilidade com relação a dor do ser humano, parecia ter-se acabado.

As lágrimas, a miséria e o sofrimento do povo judeu, não comoviam os nazistas.
A pergunta é: E, o que nos comove?
As loucas atrações do mundo, já não incomodam mais?
Crianças viciadas, e na prostituição, não incomoda?
Pais matando seus filhos, não incomoda?
Filhos matando seus pais , não incomoda?

Aborto e, outros tipos de assassinatos, não incomodam mais?
Como no julgamento de Jesus, condenamos o inocente, e, aclamamos o assassino?

Pilatos diz aos principais dos judeus que, em Jesus não havia crime algum, João 19:4. Mas, por causa de questões políticas (João 19:12), não o liberta.
Então, oferece: Barrabás, ou Jesus (Mt. 27:17)?
Barrabás era um assassino, que, com certeza matou alguém da sua própria gente. Se, tivesse matado um soldado romano, teria sido morto crucificado.

O sinédrio, os conhecedores de Deus, teriam que decidir.
O assassino? Ou, Jesus de Nazaré, que falava de amor?
(Mt. 27:20); e, começaram a gritar: Barrabás! Barrabás! Uma multidão influenciada, por homens que entendiam tudo de Deus.

Pessoas que não questionam a si mesmas, e, tampouco a quem admiram, serão usadas como joguetes, (Ef. 4:14).
Paulo adverte contra tais homens, (Rm. 16:17).

Quando não questionamos a vida, a nós mesmos, ou, os pensamentos alheios, seremos usados pelos mais “espertos”, (Rm. 16:18).
A palavra de Deus nos diz que, devemos tomar muito cuidado com os homens corruptos; Paulo fala assim: Aparta-te dos tais, (I Tm. 6:5).

Não erreis: Deus não se deixa escarnecer, (Gl. 6:7).
Pilatos lava as mãos, (Mt. 27:24) mas, aquela água não pode lavar sua consciência.
Podemos lavar não somente as mãos, mas, todo o corpo. Mesmo assim, não podemos lavar nossa consciência.

Barrabás, símbolo da morte, do medo e da covardia.
Jesus, símbolo da vida, da coragem e do amor.
Jesus, o rei que desceu do seu trono. O Deus que se fez homem.
Que sabia ouvir e compreender os sentimentos humanos.
Que valorizava cada um, dos que o procurava.
Que era compassivo com a dor humana, (Mt. 17:15,18).

Os especialistas em Deus, os doutores em divindade, os mestres disso e daquilo, se opõem ao verdadeiro evangelho de Jesus, (nem todos).
Vendem suas idéias da maneira mais chula que existe.
E, os professos crentes, aqueles que não lêem as sagradas escrituras, engolem de tudo, goela abaixo.

( I Rs. 18:21), “Até quando coxeareis entre dois pensamentos”?
Quem é o seu Deus? Já conseguimos reconhecê-lo, dentre tantos que
 idolatramos?
Eu sou de Paulo. Eu de Apolo, (I Co. 3:4-11). E, o que são os pensamentos dos sábios? (I Co. 3:20-21).
Tornemos ao evangelho de Jesus, rejeitando os inimigos da cruz de Cristo,
(Fl. 3:18-19).
Não se impressione com as coisas dessa vida; há um lugar muito mais excelente para nós, (Fl. 3:20-21).

Onde estão os profetas do Senhor? Onde estão os homens cheios do Espírito de Deus, que sobem e descem dos montes? Que vivem em vigílias? Porque se calam diante de tantas mentiras?
Onde estão os pregadores, que vivem com suas agendas lotadas?
Se pregassem a verdade de Jesus, suas agendas seriam tão cheias assim?

Paulo avisou Timóteo, sobre este tempo, (I Tm. 4:3-4).
( Is. 30:9-10), “Porque povo rebelde é este..., mentirosos..., não querem ouvir..., do Senhor;.. que dizem...,não vejais..., não profetizeis..., o reto..., tende para nós enganadoras lisonjas”.

Há quem acha chato ler a Bíblia, e, diz não entendê-la, ( Tg. 1:5-6).
Chato é o programa do Faustão. Chato é a novela que se assiste, onde se ensina: adultério, traição, prostituição, aborto e homossexualismo, para você e seus filhos.

Presta atenção, João 10:10 não fala de diabo não, ( leia todo o capítulo com atenção), fala de homens muito espertos, que roubam e minam a vida de muitos. 

As mãos lavam-se com água. A consciência, lava-se com arrependimento.

A nossa vida, a nossa verdadeira vida, está além, do que os olhos carnais podem ver.

O livro de Rute, começa com fome e morte. Noemi perde seu marido, e, seus dois filhos. Rute fala para que suas duas noras, voltassem para suas famílias.
Mas, elas disseram que não; elas ficariam com Noemi.

Noemi então, fala de coisas sérias, fala de dificuldades e, da dor de sua alma.
(Rute 1:14), “Então, levantaram a sua voz e tornaram a chorar; e Orfa beijou a sua sogra; porém Rute se apegou a ela”.

A atitude de Rute significa o seguinte: Não importa quais sejam as conseqüências, eu não te abandonarei.
(Rute 1:15), Noemi insiste para que Rute volte, para sua família e seus deuses.

E, suas palavras são impressionantes, (Rute 1: 16-17). Rute renuncia tudo quanto antes valorizava. Rute iniciava agora, uma vida totalmente nova.
Rejeitando seu passado, e, seus deuses..., “o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus.

Em Moabe, Rute adoraria Camós, (Nm. 21:29), em Judá, adoraria o Deus de Israel, Eterno, Imortal, Invisível, mas, Real.
(E, como disse Langston: Deus, é Espírito pessoal, perfeitamente Bom, que, em Santo amor, criou, sustenta e governa tudo.) ALELUIA!

Neste mundo em que vivemos, andamos temerosos pelas coisas que presenciamos. A violência, os desastres, as tragédias....

Aviões caindo, maremotos, terremotos, pessoas matando por nada.
Amigos que nos traem, que nos viram as costas.
Parece que estamos cercados de todos os lados.
Os inimigos nos cercam, e, nos deixam sem saídas.

E agora? O que fazer? Para onde ir? Eles são muitos, e nós poucos.
(II Reis 6:15), o moço de Eliseu fica apavorado, os olhos vêem as aparências e os temores. 
Mas, o profeta o acalma, e, ora a Deus para que, seus olhos espirituais se abrissem; a fé vê a Deus, e, a alma fica em paz, (II Reis 6:16-17).

Continue a falar do amor de Deus. Não pare. Não temas.
Pois, o Senhor Deus é conosco.
É impressionante como o evangelho dos “olhos” ainda sobrevive.
Fala-se de saias, de corte de cabelos, de não use, não toque...
Fariseus. Fariseus. Coam um mosquito, mas, engolem um camelo.

Quando olhamos para uma prostituta, e, para algum religioso, claro, penderemos para o religioso. Suas palavras são morais, suas atitudes impecáveis.

A prostituta no entanto, tem palavras imorais, vive da sexualidade e suas atitudes são banais. Sabe o que Jesus, o Senhor disse?
(Mt. 21:31), aqueles que consideramos como escória, pode chegar primeiro.

O Senhor Jesus enxerga, onde ninguém pode ver. A alma, bem no fundo da alma. Ele vê, tudo o que está escondido na alma. Jesus penetra no mundo interior das pessoas.

Não tem como se esconder. Não dá para fugir. Enquanto mostramos o mundo exterior de nossa vida, e nos escondemos atrás de capas e máscaras; Jesus, o Senhor, descortina toda nossa vida.

(Sl. 139:1-12), o verso 13 fala assim: “Pois possuíste o meu interior; entreteceste-me no ventre de minha mãe”. Todo nosso interior, está patente e nu diante de Jesus.

A nossa maquiagem espiritual, pode enganar as pessoas comuns.
A nossa “ética eclesiástica”, pode enganar milhares. 
Mas, não engana o Autor da vida.

É tempo de mudança. Tempo de rever conceitos e preconceitos que, criamos ao longo do tempo. Talvez, tenhamos nos acostumado tanto com as arbitrariedades, que nos tornamos insensíveis a cruz.

É tempo de devolvermos a igreja, ao verdadeiro dono, Jesus.
Jesus é a cabeça. Jesus é o Senhor. É Ele quem manda, quem ditou as regras.
Quais? Amar e perdoar. Perdoar e amar.

A diferença entre os fariseus, e, os publicanos e meretrizes estava em seus interiores.
Os fariseus eram: orgulhosos, arrogantes e auto-suficientes, não precisavam de um mestre para dirigir o curso de suas vidas, então, rejeitaram ao Senhor Jesus.

Os publicanos e meretrizes, ao contrário, reconheceram seus erros, suas fragilidades, suas injustiças, e por isso amaram com toda alma a  Jesus.

Amemos ao Senhor, com todas as nossas forças!



Pr. Luiz Carlos Euzebio