segunda-feira, 14 de março de 2011

Tesouros!

Tesouros!
Antes de qualquer coisa, eu gostaria de fazer algumas perguntas: Você se conhece? Qual a coisa mais importante para você? Qual é o seu grande amor?

A bíblia conta a história de um ruivinho atrevido. Era pobre, mas trabalhador. Parecia que era meio desprezado em meio a família, mas era de muita coragem.

E para defender o pequeno rebanho da família, não hesitou, em enfrentar leão e urso.
E, quando seu povo foi desafiado por um guerreiro de quase três metros, não temeu, lutou e venceu em nome do Senhor dos exércitos.

Tornou-se famoso, rico; tornou-se rei. Uma trajetória impressionante; de pastor de ovelhas, a rei de uma nação.
Mas, quando ele ia adorar ao Senhor, ele se despia de suas vestes reais, pois , para ele, o Senhor é Rei.

Mateus 6:19-24- “Riquezas”(Mamõn). Todos tem na vida um valor fundamental, e isto determina sua forma de viver, e, aquilo que ele é.

O que tem real valor: Deus ou as riquezas?. Deus liberta o homem, através da sua justiça. As riquezas o escraviza e leva a morte. Qual dos dois servir?

Uns dos erros do farisaísmo e judaísmo, era dizer que a riqueza material era evidência da aprovação de Deus.
Jesus ao contrário, diz que os bens materiais são efêmeros; e podem se perder pela traça, ferrugem ou ladrão.

Mt.6:33- o crente deve juntar tesouros no céu, visando a justiça. Jesus não condena as riquezas, mas a escravidão as riquezas.


Vamos a oração, a nós ensinada, que pode ser usada(sem ser apenas recitada), pelos verdadeiros crentes.

Mt.6:9-13- “Pai nosso”, demonstra uma intima afeição, preciosa a todos os crentes.
Na primeira parte, o pedido é para que Deus manifeste sua salvação; na Segunda parte, o essencial para que o homem possa viver conforme o projeto de Deus.

Os três primeiros pedidos da oração, referem-se a Deus e ao Seu projeto. Os quatro últimos, ao homem e suas necessidades.

“Santificado”, Seu significado é: “seja reverenciado e tratado como Santo”.
“Venha o seu reino”(reino messiânico). Todos os crentes deveriam desejar sua chegada ardentemente.

“O pão nosso de cada dia”. O termo “cada dia”, pode ser: “diário”, “necessário para a existência” e “dia seguinte”.
“Perdoa as nossas dividas”. Os pecados tidos como dividas morais e espirituais para com a justiça de Deus. Lembre-se, esta oração foi ensinada apenas aos discípulos.

“Assim como nós perdoamos”. O perdão dos pecados é sempre pela graça de Deus.(falta de perdão é pecado, e deve ser confessado como tal)
“E não nos deixe cair em tentação”. Que Deus nos poupe das tentações desnecessárias.(Tg. 1:13-14; Lc. 22:40).






Pr. Luiz carlos Euzebio




E-mail: luiz.carloseuzebio76@gmail.com