sábado, 5 de março de 2011

As duas naturezas do crente

As duas naturezas do crente!

As escrituras ensinam, que cada ser restaurado, é possuidor de duas naturezas.
A primeira do NASCIMENTO NATURAL, que é inteiramente .
A segunda recebida pelo NOVO NASCIMENTO, em JESUS CRISTO, que é a NATUREZA de DEUS mesmo, portanto, totalmente Boa.

As seguintes passagens, manifestam o pensamento Divino acerca da velha natureza Adâmica.
(Sl.51:5) “Eis que em iniquidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe.”
Nossos atos pecaminosos, são frutos da nossa natureza caída, conhecida como pecado original.

(Jr. 17:9) “Enganoso é o coração mais que todas as coisas, e perverso, quem o conhecerá?
Traiçoeiro, astucioso. Corrupto, enfermo, incurável.

O pecado é uma doença do coração. Coração no V.T. , “o ser interior do homem”, do qual nasce sua vontade e ações. “Corrupto”. Esta palavra, as vezes se refere a doença, e é traduzida para “incurável”.                                        

(Rm.3:10-12) “Não há um justo, nem um sequer, não há ninguém que busque a Deus. Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há um só”.

È uma prova da universalidade do pecado.

1)- O pecado no caráter humano, vs. 10,12.
2)- O pecado na conduta humana, vs.13,17.
a)    em palavra, vs.13-14.
b)   em ação, vs.15-17.
3)- A fonte do pecado, v.18. (Shedd)
Paulo cita várias passagens do V.T., Todas passagens são de Salmos, exceto Is. 59:7. No contexto original, nem todas passagens, destacam a universalidade do pecado. O Sl. 14:1-3, sim. Os Sl. 5:9; 140:3; 10:7, tratam da condição, atitude e conduta dos maus.

Isaias, 59:7,8, trata da injustiça de Israel. O salmo 36:1, mostra a falta de respeito do homem mau para com Deus. Estas citações, nos mostram as diversas formas do pecado, o caráter dos pecadores, o efeito de suas ações e a atitude deles para com Deus.

Deus não diz que as pessoas não possam ser, educadas, generosas, amáveis ou religiosas. Mas, afirma que nenhum deles é justo, que nenhum deles O entende ou O busca.

(I Jo.1:8)-”Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós”.
Refere-se à natureza, principio ou raiz de pecado, e não ao ato.
Quando não confessamos nosso pecado:

1) enganamos a nós mesmos. Desviamo-nos do caminho, fazendo conosco o que o diabo luta por fazer.

2) a verdade não está em nós; apagamos a luz e moramos em trevas criadas por nós mesmos.

(I Jo.5:10)- “Quem crê no filho de Deus, em si mesmo tem o testemunho, quem a Deus não crê, mentiroso o fez, porquanto não creu no testemunho que Deus de seu Filho deu”.

O testemunho é externo e interno. “Aquilo que para os outros é externo, para o crente é experimental”.(Westcott, pag. 186)

O faz mentiroso- O incrédulo faz de Deus um mentiroso, no que diz respeito ao Seu plano de redenção.

O testemunho, é que Deus deu o Seu Filho, para que os homens pudessem Ter vida eterna.

Gn. 6:2- Filhos de Deus – descendentes de Sete. Filhas dos homens – descendentes de Caim.

 Parecia que o mundo ia melhorando, um progresso podia ser notado.
Os casamentos entre piedosos e mundanos iníquos foi a elevação da natureza humana as maiores alturas.

G. 6:5- “O Senhor viu que a maldade do homem se multiplicava sobre a terra, e que toda imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente”.

A depravação era muito difundida; era interna contínua e habitual.
O homem era inteiramente corrupto, mau de coração e na conduta.

 A carne estava no trono, Deus esquecido e desafiado.

(Rm.3:10-18) ”Ninguém é bom, ninguém no mundo inteiro é inocente. Ninguém jamais seguiu realmente as veredas de Deus, nem mesmo desejou fazê-lo. Todos se desviaram; todos caíram no erro. Ninguém, em parte alguma, fez só o que é direito durante toda sua vida, nem uma só pessoa”.

“O que falam é tão abominável e sujo quanto o mal cheiro de uma sepultura aberta. Suas línguas estão cheias de mentiras. Tudo o que dizem tem o ferrão e o veneno de serpentes mortíferas. Suas bocas estão cheias de maldição e de amargura.

Estão prontos para matar, odiando qualquer um que não concorde com eles. Por onde quer que vão, eles deixam a miséria e o transtorno atrás de si. Nunca chegaram a saber o que é sentir-se seguro e desfrutar das bênçãos de Deus. Não se importam com o que Ele pensa deles”. (Bíblia viva)

O homem interior

II Co. 4:16-Se corrompa...., se renova. O homem exterior corresponde aos “vasos de barro” de 4:7 e à “casa terrestre” de 5:1.

As sementes da corrupção e da desintegração estão no corpo desde o nascimento.

Rm. 7:22- “Porque no tocante ao homem interior, tenho prazer na lei de Deus”.

Ef. 3:16- No homem interior. Na parte imaterial, a verdadeira personalidade.

Mc. 7:21-23 - “Porque de dentro do coração dos homens é que procedem os maus desígnios, a prostituição, os furtos, os homicídios, os adultérios, a avareza, a malícia, o dolo, a lascívia, a inveja, a blasfêmia, a loucura. Ora todos estes males vem de dentro e contaminam o homem”.

Maus desígnios...maquinações ou planos malignos, pensamentos deliberados.
Lascívia...significado mais forte de traição.

Dissolução...imoralidade não controlada nem disfarçada. Loucura...a loucura neste contexto é mais moral do que intelectual.

O pecado se manifesta de duas maneiras:
1o – insignificante e inocente.
2o – Encantador, muito prazeroso e reconfortante.

O pecado produz orgulho. E o orgulho aborta o desejo de verdade e retidão.

A mente fica tão distorcida pelo pecado, que os homens temem a AIDS...mas riem do inferno...buscam ajuda por uma dor de cabeça...mas permitem que suas almas entrem em decadência.

I Co. 2:14- “Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucuras, e não pode entendê-las porque elas se discernem espiritualmente”.

A palavra grega traduzida par natural significa “dominado pela alma”, o principio da vida física.

Este homem dominado pela alma não aceita, as verdades Divinas, nem as entende, pois, se discernem pelo Espírito.

Nosso ouvido não percebe a alta freqüência das ondas do rádio.
Surdos não servem como juizes musicais.

Cegos não desfrutam da beleza da natureza, e os não salvos são incapazes de julgar as coisas espirituais, as verdades praticas mais importantes.

(Rm. 8:7-8)- “Por isso, o pendor da carne é inimizade contra Deus, pois, não está sujeita a lei de Deus, nem mesmo pode estar.”
Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus.”

A carne- o principio de rebeldia dentro do homem- produz um determinado padrão e modo de pensar. Também, do mesmo modo, o Espirito Santo produz um certo padrão e modo de pensar.
A tradução pendor, destaca a direção e o ponto de vista da mente.

Morte espiritual eqüivale a inclinação da carne.
Vida e paz, eqüivale a inclinação do Espirito.

A inclinação da carne é hostil a Deus, não quer se sujeitar a sua lei. Pessoas com tal natureza não podem agradar a Deus.

Ef. 2:3- “Entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos, e éramos, por natureza filhos da ira, como também os demais”.

Por essas passagens, percebemos que o descrente tem uma tríplice incapacidade: pode Ter vários dons, ser educado, culto, amável, religioso, pagar suas dividas honestamente, falar a verdade; Mas, nem pode obedecer a Deus, Nem compreender a Deus, nem agradar a Deus.

Ef. 4:24- Nos diz que, embora o crente possua a velha natureza, inalterada e imutável, tem recebido uma nova natureza, que, segundo Deus é criada em verdadeira justiça e santidade.

Nas próximas passagens, veremos que a regeneração é uma CRIAÇÃO e não meramente uma TRANSFORMAÇÃO, é o nascimento de uma coisa nova, e não uma mera mudança de uma coisa velha.

Como recebemos a natureza humana pela geração natural, recebemos a DIVINA pela regeneração.

Jo. 3:3- “Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de DEUS”.
(Palavra dirigida a Nicodemos, pessoa religiosa e moral. “Aquele que não nascer de cima”.)

Gl. 3:26- Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus.
1)    Somos justificados pela fé.
2)    Ficamos livres da lei (v.25).
3)    Tornamo-nos filhos de Deus (26).
4)    Somos um em Cristo. Acabaram-se as divisões (v.28).

Nem todos os que nascem, mas sim, os que nascem de novo é que são filhos de Deus.

A bíblia nos diz que Adão era filho de Deus, mas, com cuidado acrescenta que Sete era filho de Adão (Lc.3:38).

Ef. 4:24- “E vós revistais do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade”.

Os andrajos humanos imundos são abandonados, para se vestir vestes novas e brancas de santidade.

Só pela renovação continua do Espirito Santo, podemos viver a vida cristã.

IICo. 5:17- “Assim se alguém está em Cristo nova criatura é, as coisas velhas já passaram, eis que tudo se fez novo”.

Gl. 2:20- “Já estou crucificado com Cristo, e vivo não mais eu, mas Cristo vive em mim, e a vida que vivo na carne, vivo-a na fé do filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim”.

Col. 3:3,4- “Porque já estais mortos, e a vossa vida esta escondida com Cristo em Deus. Quando Cristo que é nossa vida se manifestar, então também vos manifestareis com ele em glória”.

Morremos com Cristo, e nossa vida esta oculta nele e ele(Cristo) em Deus. Cristo voltará, e o nosso estado glorioso será manifesto.

Fil. 1:21- “Porque para mim o viver é Cristo”. Toda nossa vida, atitudes, pensamentos...., está relacionada com Cristo que nos conquistou.

II Ped. 1:4- “Pelas quais ele nos tem dado grandíssimas e preciosas promessas, para que por elas fiqueis participantes da natureza DIVINA”.

Deus nos convida a co-participar da sua natureza Divina, e nos liberta da corrupção.

Rm. 8:10- “E se Cristo esta em vós, o corpo na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espirito vive por causa da justiça”.

Aqui, “corpo”(carne), significa o homem sob o controle do pecado. O falso ego, morto ou inútil, por causa do pecado, não produz nada para Deus.

Mas, o espirito(verdadeiro ego), está vivo por causa da justiça que Deus concede. Não existe dois egos separados. Quando o ego se torna falso, age de acordo com a carne.
Quando o ego é verdadeiro, age de acordo com o Espirito.

Esta nova natureza Divina, que é o próprio Cristo subsiste no crente, junto com a velha natureza.

Paulo que dizia: “não mais eu, mas Cristo vive em mim”(Gl.2:20). Também disse: “Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum”.

E acho então esta lei em mim, que quando quero fazer o bem, o mal está comigo”. (Rm.7:21)

O cristão vive em dois mundos ao mesmo tempo. A carne que luta contra o espirito. E o espirito que luta contra a carne.

Há um grande combate entre essas duas naturezas. A luta entre os dois egos, o velho “eu”, e o novo “eu”.
É uma experiência como essa, que desanima e torna indecisos, os novos convertidos.

Esfria-se a primeira alegria da conversão, descuida-se no andar cristão, e perde-se o ânimo ao ver como a carne com seus velhos hábitos e desejos, procura ocupar seu primitivo lugar, e duvida que Deus o tenha aceito.

As tentações exteriores são vencidas quando recorremos a Cristo, o Sumo Sacerdote.

Sabendo isto, que o nosso homem velho(antes de ser renovado, mudado) foi com ele crucificado, para que o corpo(o corpo executa os desejos pecaminosos do homem) do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais o pecado como escravos(o pecado foi personificado, tirano, ele mantém os homens presos em plena escravidão)”.(Rm. 6:6)

Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus”.(Col. 3:3)
O cristão morreu e ressuscitou com Cristo. A velha dispensação ainda se manifesta no cristão, ele peca, fica doente, morre; a nova dispensação permanece oculta, realizada no corpo do Salvador.

Isto exige que o cristão busque(na inclinação de sua vontade), e dirija sua afeição(froneite, na inclinação de sua mente) para a realidade da nova dispensação lá do alto(em Cristo).

Assim também vós considerai-vos(prosseguir nos considerando) como mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus nosso Senhor” (Rm. 6:11)

Considerai-vos..., mostra que a possibilidade do pecado esta sempre presente. Devemos nos reconhecer vivos(constantemente vivendo) para Deus.

Viver como se tivéssemos entrado na vida da ressurreição.
Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo, e não tenhais cuidado da carne(não fazer provisões para a carne, estimulando os desejos proibidos por Deus) em suas concupiscências”.(Rm. 13:14)

Vestir-se de Cristo, significa viver pelo Espirito de Cristo.

De maneira que irmãos, somos devedores, não a carne para viver segundo a carne”.(Rm. 8:12)


E-mail: luiz.carloseuzebio76@gmail.com
Quem nasce uma vez, morre duas vezes.
Quem nasce duas vezes morre uma vez.