sábado, 23 de fevereiro de 2013

Todas as crianças que morrem estão salvas?



Por Gabriel Brasileiro Costa


“Pois todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente por sua graça, por meio da redenção que há em Cristo Jesus.” (Romanos 3:23)

Toda a humanidade é corrompida pelo pecado original. Isto é, todos nós nascemos com o pecado original herdado de Adão. Então, precisamos nos arrepender e confessar Jesus Cristo como nosso Senhor e Salvador, do fundo de nosso coração. Obviamente, as crianças também são corrompidas pelo pecado original e também estão destituídas da glória de Deus. Mas, elas não têm a capacidade de compreender isso e não sabem que precisam se arrepender e confessar verdadeiramente a fé em Jesus Cristo. Entretanto, a Sagrada Escritura deixa claro que de alguma forma a redenção por intermédio de Cristo abrange as crianças, permitindo a salvação delas; como podemos ver abaixo:

Vale esclarecer que a definição de “criança” que será usada no texto é referente à mentalidade do indivíduo, e não à sua idade. Pois, pode haver crianças precoces que sabem discernir o bem do mal, e que já possuem a capacidade de saber o que é o pecado e arrependimento. Da mesma forma que pode haver adultos com sérios problemas mentais, possuindo a inocência e a mentalidade infantil.

“Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis; porque, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe renderam graças, mas os seus pensamentos tornaram-se fúteis e o coração insensato deles obscureceu-se.” (Romanos 1:20-21)

Paulo nos fala que aqueles que tem conhecimento da glória de Deus são indesculpáveis em não glorificá-lo. Isto é aqueles que obtiveram um grau de revelação adequado de Deus, não tem desculpa de não adorá-lo e glorificá-lo. Porém, há alguns que estão em um grau de inocência e não tem esse conhecimento de Deus. Se for o conhecimento da glória de Deus que faz alguém ser indesculpável de não glorificá-lo, então, podemos concluir que o não conhecimento da glória Deus não faz alguém ser culpado por não glorificá-lo. Portanto, as crianças não são culpadas de não honrar a Deus. Pois, elas não têm o conhecimento do mesmo. Logo, conclui-se que Deus não poderia mandar elas ao inferno, pois, elas têm a justificativa de não ter tido o conhecimento de Deus, e não ter tido a capacidade de adorá-lo e glorificá-lo.

“Depois trouxeram crianças a Jesus, para que lhes impusesse as mãos e orasse por elas. Mas os discípulos os repreendiam. Então disse Jesus: ‘Deixem vir a mim as crianças e não as impeçam; pois o Reino dos céus pertence aos que são semelhantes a elas’.” (Mateus 19:13-15)

Cristo fala abertamente que os que são semelhantes às crianças, são deles o Reino dos Céus. Logo, conclui-se que todos aqueles que têm o mesmo nível de inocência das crianças, incluindo as próprias crianças, ou que tentam por em sua conduta moral essa característica [por amor a Jesus Cristo], serão salvos.

“Naquele momento os discípulos chegaram a Jesus e perguntaram: ‘Quem é o maior no Reino dos céus? ’. Chamando uma criança, colocou-a no meio deles; e disse: ‘Eu lhes asseguro que, a não ser que vocês se convertam e se tornem como crianças, jamais entrarão no Reino dos céus. Portanto, quem se faz humilde como esta criança, este é o maior no Reino dos céus’.”(Mateus 18:1-4)

Podemos ver que Jesus fala sobre quem é o maior no Reino dos Céus. Ele fala que aquele que aplicar à sua conduta moral a humildade de uma criança será o maior no Reino dos Céus. Portanto, aqueles que tiverem uma conduta moral semelhante ou igual à de uma criança, incluindo as próprias crianças, serão salvos.

"Quem recebe uma destas crianças em meu nome, está me recebendo. Mas se alguém fizer tropeçar um destes pequeninos que creem em mim, melhor lhe seria amarrar uma pedra de moinho no pescoço e se afogar nas profundezas do mar."

Jesus utiliza uma hipérbole para demonstrar como as crianças são benditas. Portanto, podemos ter uma noção de como são as crianças aos olhos de Deus. Se Deus vê as crianças dessa forma maravilhosa, é razoável supor que crianças ao morrerem serão salvas.

Visto os argumentos apresentados, podemos concluir que as crianças são o modelo que todos nós devemos seguir para que possamos verdadeiramente trilhar o caminho preparado por Deus, e para que nossa fé seja justificada entre homens, como a verdadeira fé em Nosso Senhor Jesus Cristo. Se elas são um modelo a ser seguido, elas tem um lugar guardado no Céu, da mesma forma que aqueles que tentam ser como elas [por amor a Jesus Cristo] também possuem. 

“A criança é um por natureza um ser do encantamento, um ser que experimenta a leveza, e que não retém a dor." (Cris Griscon)

“As crianças são os pequenos eleitos de Deus que desde toda a eternidade o encantam”  

Artigo enviado por e-mail
Contatos com o autor: elzinhobc@gmail.com
Divulgação: Bereianos