domingo, 5 de janeiro de 2014

AS ADVERTENCIAS DA PALAVRA DE DEUS IV

L. R. Shelton, Jr.

IV

Leiamos, pedindo a orientação do Espírito Santo, em Hebreus 2:1-3: “Por esta razão, importa que nos apeguemos, com mais firmeza, às verdades ouvidas, para que delas jamais nos desviemos. Se, pois, se tornou firme a palavra falada por meio de anjos, e toda transgressão e desobediência recebeu justo castigo, como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação? A que, tendo sido anunciada inicialmente pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram.”

O assunto do nosso quarto estudo sobre as advertências da Palavra de Deus é O PERIGO DE NEGLIGENCIAR A CRISTO E A SUA TAO GRANDE SALVAÇÃO. A expressão que inicia esse segundo capítulo de Hebreus – “Por esta razão…” – nos convida a voltar ao capitulo 1, para ver o que nos foi dito nos versículos anteriores.
“Por esta razão,” porque Cristo foi colocado diante de nós em Hb 1:2 como o Filho de Deus que foi constituído herdeiro de todas as coisas; devemos apegar-nos com mais firmeza às coisas que ouvimos a respeito da tão grande salvação que Ele nos oferece.
“Por esta razão,” porque Cristo foi colocado diante de nós em Hb 1:2 como o Criador de todas as coisas; devemos prestar mais atenção Aquele que agora nos anuncia do céu Sua tão grande salvação.

“Por esta razão,” porque Cristo foi colocado diante de nós em Hb 1:3 como Aquele que fez purificação dos nossos pecados, ou seja: fez expiação por eles; não devem negligenciar Sua tão grande salvação. Como, pois, escaparemos à condenação do inferno sem estarmos em Cristo?
“Por esta razão,” porque Cristo foi colocado diante de nós em Hb 1:11 como o eterno Senhor da glória que não muda; devemos nos apegar, com mais firmeza, às verdades ouvidas, para que delas jamais nos desviemos, nem negligenciemos tão grande salvação, nem deixemos de escapar à ira vindoura de Deus.

Que advertência solene quanto ao fato de o Evangelho da graça de Deus, a TÃO GRANDE SALVAÇÃO oferecida em Cristo, não ser coisa mínima diante de Deus, mas de grande peso! Sim, quem se desvia desta tão grande salvação, tratando-a levianamente e com desprezo, incorre na perdição da sua alma imortal.
Nessa expressão: “importa que nos apeguemos, com mais firmeza, às verdades ouvidas,” o Espírito Santo, através do apóstolo Paulo, apela à nossa responsabilidade. Somos exortados a cumprir um dever específico: “importa” significa que estamos obrigados. É uma necessidade imposta sobre nós, e negligenciá-la envolve a condenação da nossa alma imortal. Não é questão do nosso arbítrio, de aceitarmos ou de passarmos sem. Precisamos prestar atenção e receber a Cristo e Sua salvação; senão, sofreremos as consequências.

O dever que somos conclamados a cumprir é sério. Devemos fixar nossa mente nas verdades ouvidas, porque a fé vem pelo ouvir, e o ouvir pela Palavra de Deus (Rm 10:17). Trata-se de DOBRAR A VONTADE diante de tão grande salvação divina, porque é só em Cristo que poderemos ser livrados da ira vindoura. É aplicar-nos, de coração e mente, às coisas reveladas na Palavra de Deus, e levar a totalidade da nossa pessoa a procurar o Cristo integral, porque Ele e a Sua tão grande salvação serão achados quando buscarmos a Ele de todo o coração.

A expressão: “importa que nos apeguemos, com mais firmeza, às verdades ouvidas, para que delas jamais nos desviemos” significa, também, que devemos meditar nelas com oração, e aplicá-las a nós mesmos, porque dizem respeito à nossa eterna paz em Cristo. Devemos seguir Ele com temor precioso, e confiar nEle com toda a fé que Ele nos deu.
Resumindo esse versículo, estamos sendo advertidos quanto ao grave perigo de negligenciar o convite gracioso divino da misericórdia e da graça que nos são dadas na tão grande salvação em Cristo. E se o negligenciarmos, não escaparemos do castigo divino pelos nossos pecados.
Preste atenção, caro leitor! Ser salvo não é coisa de somenos importância. A coisa mais maravilhosa que pode ocorrer nesta vida é conhecer a Cristo como o Salvador da alma imortal, mediante Seu poder e sangue, aplicados ao nosso coração pelo Seu Espírito Santo, pela fé.

Escute esta advertência! O Livramento de Noé quando o mundo antigo foi destruído pelo Dilúvio foi maravilhoso, mas o Livramento da nossa alma imortal do dilúvio da ira de Deus, por meio do evangelho, é um Livramento muitíssimo maior.
O Livramento de Ló do meio da destruição de Sodoma foi grande, mas a salvação que obtemos, por meio do evangelho de Cristo, de castigo no fogo eterno, é um Livramento infinitamente maior.
O Livramento dos três moços hebreus, Sadraque, Mesaque, e Abede-Nego, da fornalha de fogo foi realmente grandioso, mas a salvação em Cristo da nossa alma imortal, preservando-a da segunda morte no lago de fogo, é um Livramento muitíssimo maior.

O Livramento de Daniel da boca dos leões foi realmente muito gracioso. Mas Livramento da minha alma imortal do poder do pecado e do domínio de Satanás, mediante a maior salvação que o Evangelho oferece em Cristo, é um Livramento bem maior.
Por isso, negligenciar essa salvação é desprezá-la; tratá-la como algo que não merece a sua atenção, é calcar aos pés o Filho de Deus, destratar o Seu sangue, o sangue da aliança, com o qual fomos santificados, e ultrajar o Espírito Santo da graça. Hb 10:29.
Vemos, portanto, quão grande é a advertência que nos é dada aqui, porque trata-se de duas coisas: a salvação divina em Cristo, que Lhe custou a própria vida, e a salvação da nossa alma imortal.

Qual é, pois, essa tão grande salvação que foi anunciada inicialmente pelo próprio Cristo? Por que é tão importante prestar atenção a ela, aceitá-la, e buscá-la de todo o coração e de toda vontade?
Primeiro, porque é a salvação da CULPA DE TODOS OS NOSSOS PECADOS. Conforme diz Rm 8:1: “Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.” Por quê? Porque Cristo, que não conheceu o pecado, foi feito pecado por nós, a fim de que tivéssemos nEle perfeitas condições de retidão diante de Deus Pai e da Sua Santa Lei. (2 Co 5:21).

Veja bem, caro leitor: somos criminosos pela própria natureza: violamos a santa Lei de Deus, somos rebeldes contra o governo de Deus santo e justo que domina o universo, e que exige o amor, a afeição e a obediência. Cada um de nós voltou-se para seu próprio caminho, provocando a inimizade de Deus. Cristo, porém, veio e satisfez, mediante Sua perfeita obediência e Sua morte vicária, a Lei que violamos. Por isso, quando nos aproximamos dEle com arrependimento, com ódio ao pecado que lastimamos e abandonamos, deixando a rebeldia e olhando somente para o Senhor Jesus Cristo, pela fé Ele passa a aplicar, pelo Seu Espírito, os Seu méritos à nossa conta no céu, e nEle somos libertos de toda a culpa e poluição dos nossos pecados.

Segunda, porque é salvação do PODER DO PECADO. Preste atenção a uma das mais graciosas verdades da Palavra de Deus: na salvação, Deus nos libertou em Cristo não somente da penalidade do pecado, mas também do poder do pecado. Preste atenção a Romanos 6:6: “Sabendo isto, que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos.” Porque o pecado não terá domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei, e, sim, da graça” (v 14). “Uma vez libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça” (v.18). Sim, somos libertos do poder do pecado, e louvo ao Senhor por isso.

Terceiro, porque é salvação da POLUIÇÃO DO PECADO. Louvado seja o Senhor! Porque, na salvação, Ele nos purifica da poluição do pecado e nos dá um novo coração, e uma nova natureza, e assim passamos a desejar coisas santas, pensamentos santos, e uma vida santa. Sim, Ele purifica a nossa consciência de obras mortas para servirmos ao Deus vivo e verdadeiro. (Hb 9:14).
Quarto, é uma salvação do TEMOR DA MORTE E DA PERDIÇÃO, porque Cristo veio para livrar “a todos que, pelo pavor da morte, estavam sujeitos à escravidão por toda a vida” (Hb 2:15). “Porque Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação” (2 Tm 1.7). “Porque não recebestes o espírito de escravidão para viverdes outra vez atemorizados, mas recebestes o espírito de adoção, baseados no qual clamamos: Aba, Pai” (Rm 8:15).

Quinto, é a salvação do PODER DA SEPULTURA. “Porque é necessário que este corpo corruptível se revista da incorruptibilidade, e que o corpo mortal se revista da imortalidade” (1 Co 15:53). “Pois a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, o qual transformará o nosso corpo de humilhação, para ser igual ao corpo da sua glória, segundo a eficácia do poder que ele tem de até subordinar a si todas as coisas” (Fp 3:20-21).

Sexto, é uma salvação da IRA VINDOURA, conforme lemos em 1 Ts 1:10. Sim fomos libertos do império das trevas e transportados por Deus para o reino do Seu Filho amado (Cl. 1:13). Passamos, portanto, da morte para a vida, e a segunda morte no inferno não terá domínio sobre nós.
Vemos, pois, quão grande salvação Deus preparou em Cristo para os pecadores; e negligenciá-la, no coração, trará contra nós a justa ira de Deus. É assim que nos ensina Romanos 2:4-6: “Ou desprezas a riqueza da sua bondade, e tolerância, e longanimidade, ignorando que a bondade de Deus é que te conduz ao arrependimento? Mas, segundo a tua dureza e coração impenitente acumulas contra ti mesmo ira para o dia da ira e da revelação do justo juízo de Deus, que retribuirá a cada um segundo o seu procedimento.”

Que advertência para não negligenciar tão grande salvação em Cristo, mas para “buscar o SENHOR enquanto se pode achar, invocá-lo enquanto está perto. Deixe o perverso o seu caminho, o iníquo os seus pensamentos; converta-se ao SENHOR, que se compadecerá dele, e volte-se para o nosso Deus, porque é rico em perdoar” (Is 55:6-7)! “Hoje,” ao sentir que o Espírito Santo está falando com você, “não endureçais os vossos corações” (Hb 3:7), mas confie nEle para receber a Sua tão grande salvação: “Se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo” (Rm 10:9).

Autor: L. R. Shelton, Jr.
Digitação: Sabryna Santos com Autorização
Revisão: Robson Alves de Lima
Fonte: www.PalavraPrudente.com.br