domingo, 5 de janeiro de 2014

AS ADVERTENCIAS DA PALAVRA DE DEUS V

L. R. Shelton, Jr.

V

A mensagem abaixo, que o Senhor me deu sobre as advertências da Palavra de Deus, baseia-se em Lucas 16:19-31:
“Havia certo homem rico, que se vestia de púrpura e de linho regalava esplendidamente. Havia também certo mendigo, chamado Lázaro, coberto de chagas, que jazia à porta daquele; e desejava alimentar-se das migalhas que caíam da mesa rico; e até os cães vinham lamber-lhe as úlceras. Aconteceu morrer o mendigo e ser levado pelos anjos para o seio de Abraão; morreu também o rico, e foi sepultado. No inferno, estando em tormentos, levantou os olhos e viu ao longe a Abraão e Lázaro no seu seio. Então, clamando, disse: Pai Abraão, tem misericórdia de mim! E manda a Lázaro que molhe em água a ponta do dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama. Disse, porém, Abraão: Filho, lembra-te de que recebeste os teus bens em tua vida, e Lázaro igualmente os males; agora, porém, aqui, ele está consolado; tu, em tormentos.

 É, além de tudo, está posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte que os que querem passar daqui para vós outros não podem, nem os de lá passar para nós. Então replicou: Pai, eu te imploro que o mandes à minha casa paterna, porque tendo cinco irmãos; para que lhes de testemunho a fim de não virem também para este lugar de tormento. Respondeu Abraão: Eles têm Moisés e os profetas; ouçam-nos. Mas ele insistiu: Não, pai Abraão; se alguém dentre os mortos for ter com eles, arrepender-se-ão. Abraão, porém, lhe respondeu Se não ouvem a Moisés e aos profetas, tão pouco se deixarão persuadir, ainda que ressuscite alguém dentre os mortos.”
Descobrimos aqui o que nosso Senhor nos ensina a respeito do estado futuro dos mortos; que é um estado consciente, e que há vida além do túmulo tanto para os justo quanto para os ímpios.

Nosso Senhor abre o véu e nos deixa ver além da morte, e perceber a veracidade de Ap 22:11: “Continue o injusto fazendo injustiça, continue o imundo ainda sendo imundo; o justo continue na prática da justiça, e o santo continue a santificar-se.”
Sabendo que essa advertência da Palavra de Deus provém dos lábios de Quem não pode mentir, pecamos que o Espírito Santo aplique as palavras desta mensagem aos nossos corações, para a luz do evangelho glorioso de Cristo entrar raiando.

Primeiro, o estado futuro que é retratado em Lc 16:26 é o ESTADO FINAL. Lemos, pois, que um grande abismo está fixado entre a habitação dos ímpios e a dos justos, e que ninguém pode passar de um lado para outro. Nosso Senhor confirma essa diferença em Mc 9:43: “E, se tua mão te faz tropeçar, corta-a; pois é melhor entrares maneta na vida do que, tendo as duas mãos, ires para o inferno, para o fogo inextinguível.”
Note bem, caro leitor: as Escrituras não ensinam uma segunda chance depois da morte. Ensinam que é só nessa vida que o homem tem a oportunidade graciosa de ser salvo pela graça de Deus em Cristo, com base na Sua morte na cruz em nosso favor. Na condição em que a morte nos apanhar, ali a eternidade nos conservará para todo o sempre.

Então, todas as duvidas serão resolvidas, porque não haverá mais debate quanto a Bíblia ser a Palavra de Deus. Lá na eternidade, você saberá com certeza que ela o é. Saberá, também, que as ameaças da Palavra de Deus, bem como as promessas, serão cumpridas por Aquele que está assentado no trono.
Você não mais debaterá a existência do inferno, porque descobrirá que a alma que morrer fora de Cristo terá de viver para sempre debaixo da ira de um Deus vinga o pecado. Assim lemos em Jo 3:36: “O que, todavia, se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus.”
Segunda, a descrição que o Senhor faz da vida após morte revela que é um ESTADO CONSCIENTE. Vemos em Lc 16 que Abraão e o rico conversaram entre si. Vemos que o rico foi exortado a lembrar-se; que estava sendo atormentado com dores reais; e que pedia que alguém fosse enviado aos seus cinco irmãos, para adverti-los contra o perigo de irem até ao lugar dos tormentos.
Sim, é um estado de VIDA CONSCIENTE, pois o rico no inferno tinha conhecimento da certeza de seus irmãos não salvos irem até lá. Tinha memória, pois foi exortado a lembrar-se da sua vida pecaminosa na Terra. 

Tinha sentidos, pois sentia as dores. Tinha percepção, pois via o justo Lázaro em paz e quietude no Paraíso. Tinha audição, pois respondia a Abraão. Sim, caro leitor, lá estava ele no inferno, em estado consciente.
Terceiro, vemos aqui em Lc 16 que é CONSCIENTE. Preste atenção! O espírito humano, quer seja santo, quer pecaminoso, quer amigo de Deus, quer inimigo, lá na eternidade terá consciência perpétua da sua condição. Se você foi santificado em Cristo, lavado no Seu precioso sangue, redimido pela Sua maravilhosa graça, você sempre terá consciência disso no estado futuro. Da mesma forma, se você foi pecador impenitente que odiava a Deus, você nunca por um instante sequer perderá a consciência do pecado, ao ser forçado a contemplar o Deus Santo, a quem você odeia, durante toda a eternidade.

Se entramos na eternidade como redimidos do Senhor, não haverá mudança. O mesmo conhecimento e as mesmas experiências que já tivemos aqui em parte, ali teremos de modo completo e perfeito, porque o céu começa na Terra. Aqui, o povo de Deus aprende a odiar o pecado e a amar a santidade através da obra da graça de Deus mediante o Espírito Santo. À medida que o Espírito Santo opera de modo eficaz em nosso coração, chegamos a odiar aquilo que Deus odeia: nossa vontade pecaminosa, nosso comportamento pecaminoso, e a desgraça do nosso coração, que é perdição. Além disso, um dia seremos aquilo que desejamos ser: semelhemos algumas dessas coisas, e um dia conheceremos assim como somos conhecidos, louvado seja o Senhor!
Se, caro leitor, você entrar na eternidade sem Cristo, você também conhecerá assim como é conhecido. Você conhecerá, com muita exatidão, seu próprio coração maligno. Saberá, então, que o salário do pecado é a morte. Aqui na 

Terra, você não gostava de tomar conhecimento de Deus, mas ali, você não terá escolha. Aqui na terra, você não queria saber da santidade de Deus, porque a odiava; ali, você a conhecerá sem ter a capacidade de amá-la. Sim, aquilo que você odiava em parte terá seu fruto integral, e você conhecerá seu próprio coração assim como você foi conhecido por Deus.
Caro leitor, se você tivesse compreensão clara do tipo de conhecimento que lhe espera depois do túmulo, você seria uma pessoa muito pensativa e preocupada. Se você, que não recebeu o perdão divino, ficasse acossado de agora em diante com o pensamento de que ao morrer, terá pleno conhecimento do seu própria caráter maligno, que terá de pagar sua própria culpa diante da santa lei de Deus, se você tivesse esse conhecimento à luz do poder do Espírito Santo para convencer, você não acharia repouso para sua alma imortal até ter obtido certeza da misericórdia que há em Cristo Jesus nosso Senhor.

É justamente aqui que jaz o problema. O homem natural imagina que o estado futuro vai ser como o estado presente, e assim, julga a eternidade segundo o tempo. Você acha que não há motivo de preocupação, porque se Deus não o castigou até agora, certamente não o castigará na eternidade. Mas, caro leitor, “Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia para a sua própria carne, da carne colherá corrupção” (Gl 6:7-8).

Veja bem: A mente humana na eternidade terá um conhecimento NÍTIDO E INVARIÁVEL do caráter de Deus. O atributo específico que você conhecerá acima de todos é a Sua santidade. Sua divina santidade, conforme nos diz Hc. 1:13, é assim: “Tu és tão puro de olhos, que não podes ver o mal, e a opressão não podes contemplar.” Sim, Deus é santo. Deus odeia o pecado. Sua santidade, como todos os Seus demais atributos, é viva e ativa, e forçosamente se manifesta. Sua ira santa forçosamente ferirá o pecado se for achado em você, assim como feriu o pecado quando foi achado em Jesus Cristo, seu Filho, ao tomar o lugar do Seu povo pecaminoso.
Que dia terrível será quando o pecador for levado à presença de Deus para enfrentar uma eternidade num estado de ódio contra o Deus santo e justo! Clamará como aqueles em Ap 6:16: “Caí sobre nós, e escondei-nos da face daquele que se assenta no trono, e da ira do Cordeiro.” E não haverá fuga desse conhecimento do pecado, e da santidade de Deus. É isso que tornará o inferno aquilo que é.

Compreenda bem, de toda a alma! O estado futuro de quem está sem Cristo será a vista aberta e inevitável de Deus. É assim que ensina Lc 16. Você nunca poderá olhar em nenhuma direção na eternidade sem contemplar Aquele a quem você odeia: o Deus Santo e justo. Porque você odeia a santidade e ama o pecado, você olhara para Ele e morderá a língua em agonia, e não haverá arrependimento no seu coração, porque no inferno não existe arrependimento. Não! Nada senão o remorso, aquela tristeza segundo o mundo, que opera a morte. “Os homens remordiam as línguas por causa da dor que sentiam, e blasfemaram o Deus do céu por causa das angustias e das úlceras que sofriam; e não se arrependeram de suas obras” (Ap 16:10-11).
Por outro lado, os que amam o Senhor e morrem no Senhor, que têm dito como Davi: “Damos graças e nos alegramos ao lembrar-nos da tua santidade” contemplá-lo-ão e O adorarão por Seu dom inefável, pelo próprio Senhor Jesus Cristo. Que bênção será ver Aquele que minha alma ama, em Quem me deleito!

Caro leitor, quero fazer-lhe uma pergunta, que você deve responder do fundo da alma: você já viu, mediante o Espírito Santo, a santidade de Deus por contraste com a sua iniquidade? Você já foi levado a ver a justiça de Deus comparada com a sua própria pecaminosidade? Ore para que Deus lhe mostre a você mesmo, para então lhe mostrar a Ele mesmo.
Pense bem! Não se console com idéias da possibilidade de uma segunda oportunidade depois da morte, ou de um lugar intermediário entre o céu e o inferno, onde sua alma poderá sofrer por algum tempo e depois passar para o céu. 
Não se console imaginando que alguém poderá orar e fazer você sair do inferno. Essa doutrina, que o mundo acha consoladora, não é ensinada na Palavra de Deus. Trata-se de uma das muitas mentiras que o diabo tem ensinado. A Palavra de Deus declara inconfundivelmente que quando o crente chegar a ausentar-se deste corpo, será para ficar presente com o Senhor, e isto imediatamente depois da morte. Quanto ao incrédulo, a Palavra também diz com clareza que no inferno, estando em tormentos, levantará os olhos… e isto imediatamente após a morte.

Não se console pensando que simplesmente porque algum pregador ou sacerdote venha a dizer algumas coisas agradáveis a respeito de você, depois de você ter morrido, que tudo irá bem. Deus, pois, não julga as pessoas segundo as aparências (Gl 2:6; Rm 2:11). Não console, ainda, a sua alma imortal com a crença que a morte é o fim de tudo. Por mais falsos profetas e mestres que haja para torcer as Escrituras no sentido contrário, nosso Senhor não mentiu em Lc 16 quando nos revelou o estado futuro dos justos e dos ímpios.
Lembre-se sempre do seguinte: a salvação vem do Senhor, e a salvação é CONHECER A CRISTO, que a Sua preciosa Palavra revela a você como seu único Senhor e Salvador. Você conhece a Cristo naquela união viva, amorosa e perdurável?

Conhecer a Cristo é, em primeiro lugar, você conhecer a si mesmo como um pecador perdido e merecedor do inferno. Trata-se da operação do Espírito Santo dentro de você, que leva á regeneração, por meio de entristecê-lo por causa do seu pecado, que é contra o Deus Santo a quem você tem odiado na sua rebelião contra Ele. É ser levado a lastimar profundamente o seu pecado; é ser levado a voltar-se contra o seu pecado e para Deus; a abominar e odiar o pecado. É ser levado a clamar a Deus, rogando que o poder do pecado seja quebrantado dentro de você, no seu coração e na sua vida.
Preste atenção, caro leitor! Quando o Espírito Santo operar em você essa obra do arrependimento, ele também lhe dará fé para apropriar-se do Senhor Jesus Cristo como o único remédio que Deus oferece a você pelos seus pecados. Quando, então, Cristo for revelado ao seu coração através da Palavra de Deus, você ficará grato porque Ele, por amor à sua alma imortal, livrou-o do abismo da corrupção, e lançou para longe os seus pecados, que nunca mais serão lembrados contra você.

Caro leitor, a coisa mais maravilhosa que poderia acontecer com você é quando o Espírito Santo operar assim no seu coração; você conhecerá experiencialmente a você mesmo, e conhecerá a Cristo naquela união vital e vivencial.
Lembre-se pois: o estado futuro será o estado final. O estado futuro depois da morte será um estado consciente. O estado futuro EM CRISTO será um estado de bem-aventurança, ao passo que o estado futuro fora de Cristo será contemplar, inevitavelmente, o Deus Santo contra quem pecou, que nessas condições será a pior agonia do inferno.

Autor: L. R. Shelton, Jr.
Digitação Sabryna Santos com Autorização
Revisão: Robson Alves de Lima Fonte: www.PalavraPrudente.com.br