sábado, 28 de dezembro de 2013

Desejando Deus - Thomas Watson (1620-1686)



É possível saber que o reino da graça está firmado no nosso coração quando desejamos Deus de verdade; pela pulsação desse desejo podemos concluir que há vida.

O verdadeiro desejo por Deus é sincero. Desejamos Deus por ele mesmo, pelas suas excelências intrínsecas. O aroma dos unguentos da graça de Cristo desperta o desejo das virgens por ele (Ct 1.3). O santo verdadeiro deseja Deus não somente pelo que ele tem, mas pelo que ele é; não só pelas suas recompensas, mas pela sua santidade. Nenhum hipócrita pode desejar Deus assim; pode talvez desejá-lo pelas suas riquezas, mas não pela sua beleza!

O verdadeiro desejo por Deus é insaciável. Não pode ser satisfeito senão por Deus; mesmo que o mundo acumule honras e riquezas, elas não satisfarão. Flores ou música não satisfarão ao sedento. Assim também nada matará a sede da alma senão o sangue de Cristo! Aquele que deseja desfalece, seu coração se quebra de tanto ansiar por Deus (Sl 84.2; 119.20).

O verdadeiro desejo por Deus é ativo. Ele floresce no esforço. "Com minha alma suspiro de noite por ti e, com o meu espírito dentro de mim, eu te procuro diligentemente" (Is 26.9). A alma que deseja da maneira correta clama: "Tenho de ter Cristo! Tenho de ter graça! Tenho de ter o céu, ainda que me apodere dele por esforço!".

O verdadeiro desejo por Deus é supremo. Desejamos Cristo não somente mais do que o mundo, mas mais do que o céu! "Quem mais tenho eu no céu?" (Sl 73.25). Sem Cristo, nem mesmo o céu satisfaria. Cristo é o diamante no anel da glória!

O verdadeiro desejo por Deus é crescente. Um pouco de Deus não satisfará, pois a alma piedosa deseja ainda mais. Uma gota de água não sacia o andarilho sedento. Embora o crente seja grato pela mínima fração de graça, ainda assim não estará satisfeito com a máxima porção dela. Ele sente ainda mais sede de Cristo e do seu Espírito. O santo anela por mais conhecimento, mais santidade, mais da presença de Cristo. O vislumbre de Cristo pela brecha da Lei é doce, mas a alma só deixará de ansiar por ele quando o vir face a face! Ela deseja ter graça aperfeiçoada em glória! Deseja ser totalmente embebida na doçura de Deus. Desejaríamos ser totalmente submersos em Deus e nos banhar para sempre nas águas perfumadas da felicidade, que correm à sua destra!

Certamente, esse desejo por Deus é um bem-aventurado sinal de que o reino da graça chegou ao nosso coração. A batida desse pulso manifesta vida! "Os desejos por Deus, procedem de Deus". Se o ferro, contrariando a sua natureza, move-se para cima, é sinal de que algum ímã o está atraindo. Assim também, se a alma move-se para Deus com desejos sinceros, é sinal de que o ímã do Espírito a está atraindo para Ele!


________________________________________
Autor: Thomas Watson (c. 1620—1686)
Fonte: "The Lord's Prayer", GraceGems.org
Tradutor: Marcos Vasconcelos
Mens Reformata