quinta-feira, 16 de maio de 2013

Os perdidos receberão diferentes penas no dia do juízo?

Entendo que a justiça divina neste sentido não seria muito diferente da justiça humana, que em um certo sentido também veio de Deus. Grande parte do que hoje consideramos mais errado ou menos errado vem do Pentateuco, os cinco primeiros livros da Bíblia. Ali havia diferentes castigos para diferentes pecados cometidos pelo povo, portanto haverá também diferentes condenações para os que forem lançados no lago de fogo. Obviamente eles já estarão perdidos e condenados eternamente, mas mesmo em sua condenação haverá diferente graus de punição. 



Joã 19:10-11 Disse-lhe, pois, Pilatos: Não me falas a mim? Não sabes tu que tenho poder para te crucificar e tenho poder para te soltar? Respondeu Jesus: Nenhum poder terias contra mim, se de cima não te fosse dado; mas aquele que me entregou a ti maior pecado tem

Nesta passagem Jesus demonstra existirem pecados maiores e menores e em Apocalipse 20:12-13 vemos um tribunal de condenação que leva em conta os diferentes crimes registrados nos autos. 

Apo 20:11-12 E vi um grande trono branco, e o que estava assentado sobre ele, de cuja presença fugiu a terra e o céu; e não se achou lugar para eles. E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante de Deus, e abriram-se os livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras

Há uma passagem também em Lucas 12:42-48 que mostra que Deus faz distinção entre diferentes modos de agir e a punição é também proporcional. 

Luc 12:42-48 E disse o Senhor: Qual é, pois, o mordomo fiel e prudente, a quem o senhor pós sobre os seus servos, para lhes dar a tempo a ração? Bem-aventurado aquele servo a quem o seu senhor, quando vier, achar fazendo assim. Em verdade vos digo que sobre todos os seus bens o porá. Mas, se aquele servo disser em seu coração: O meu senhor tarda em vir; e começar a espancar os criados e criadas, e a comer, e a beber, e a embriagar-se, Virá o senhor daquele servo no dia em que o não espera, e numa hora que ele não sabe, e separa-lo-á, e lhe dará a sua parte com os infiéis. E o servo que soube a vontade do seu senhor, e não se aprontou, nem fez conforme a sua vontade, será castigado com muitos açoites; Mas o que a não soube, e fez coisas dignas de açoites, com poucos açoites será castigado. E, a qualquer que muito for dado, muito se lhe pedirá, e ao que muito se lhe confiou, muito mais se lhe pedirá. 

Esta passagem mostra também que a responsabilidade está associada ao conhecimento ou desconhecimento do erro cometido. Outras passagens também demonstram este princípio: 

Joã 9:41 Disse-lhes Jesus: Se fósseis cegos, não teríeis pecado; mas como agora dizeis: Vemos; por isso o vosso pecado permanece. 

Joã 15:22 Se eu não viera, nem lhes houvera falado, não teriam pecado, mas agora não têm desculpa do seu pecado. 

Joã 15:24 Se eu entre eles não fizesse tais obras, quais nenhum outro tem feito, não teriam pecado; mas agora, viram-nas e me odiaram a mim e a meu Pai. 

Em Mateus 11:20-24 vemos também diferentes graus de condenação para as populações de determinadas cidades, dependendo do grau de conhecimento ou de privilégios que haviam recebido: 

Mat 11:20-24 Então começou ele a lançar em rosto às cidades onde se operou a maior parte dos seus prodígios o não se haverem arrependido, dizendo: Ai de ti, Corazim! ai de ti, Betsaida! porque, se em Tiro e em Sidom fossem feitos os prodígios que em vós se fizeram, há muito que se teriam arrependido, com saco e com cinza. Por isso eu vos digo que haverá menos rigor para Tiro e Sidom, no dia do juízo, do que para vós. E tu, Cafarnaum, que te ergues até aos céus, serás abatida até aos infernos; porque, se em Sodoma tivessem sido feitos os prodígios que em ti se operaram, teria ela permanecido até hoje. Eu vos digo, porém, que haverá menos rigor para os de Sodoma, no dia do juízo, do que para ti. 


por Mario Persona