quinta-feira, 16 de maio de 2013

Trave no olho? Hipocrisia? Dá licença!




“Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me”. (Mc. 8.34) 

Os romanos forçavam seus condenados à morte a carregar a própria cruz até o lugar da crucificação; Jesus escolheu essa imagem para ilustrar o significado da autonegação. 

Paulo estava adaptando o vocabulário de Jesus quando escreveu: “Fui crucificado com Cristo” (Gl 2.20) e: “Os que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e os seus desejos” (Gl 5.24). 

Na teoria parece fácil, porém, é muito difícil praticar a autonegação que Jesus menciona. O texto bíblico de Romanos 8.12,13 que diz: “De maneira que, irmãos, somos devedores, não à carne para viver segundo a carne. Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis”,representa uma intensa batalha interior, que a maioria das pessoas não conseguem vencer. 

Tornar-se e ser uma pessoa cristã envolve uma mudança tão radical que nenhuma imagem pode ilustrá-la à altura, exceto a morte e a ressurreição, morrer para a velha vida, ou para o egoísmo, e ressuscitar para uma nova vida de santidade, amor e renúncia, que só pode ser conseguida com a ajuda do Espírito Santo do Senhor. 

Durante essa jornada é normal que ocorra deslizes, pois estamos vivendo um processo em busca de santificação que vai sendo aperfeiçoado com a maturidade ao longo da caminhada e, nesse processo que vivenciamos não podemos esquecer o verso bíblico: “Mas, ó SENHOR dos Exércitos, justo Juiz, que provas os rins e o coração, veja eu a tua vingança sobre eles; pois a ti descobri a minha causa". Jr. 11.20.

É preciso tomar cuidado com os pré julgamentos que fazemos com relação ao nosso irmão, que também se encontra no mesmo processo, pois a Palavra de Deus nos adverte: 

“Os que fazem culpado ao homem por uma palavra, e armam laços ao que repreende na porta, e os que sem motivo põem de parte o justo”. (Is. 29.21) 

“Porquanto, não conhecendo a justiça de Deus, e procurando estabelecer a sua própria justiça, não se sujeitaram à justiça de Deus”. Rm. 10.3 

“Ele mesmo julgará o mundo com justiça; exercerá juízo sobre povos com retidão”. Sl 9.8

“De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus. Assim que não nos julguemos mais uns aos outros; antes seja o vosso propósito não pôr tropeço ou escândalo ao irmão. Eu sei, e estou certo no Senhor Jesus, que nenhuma coisa é de si mesma imunda, a não ser para aquele que a tem por imunda; para esse é imunda”. Rm. 14:12-14 

Porque será que temos a tendência de cobrar perfeição das outras pessoas e, nos esquecemos tão facilmente de quão difícil é exercitar a prática da autonegação citada por Cristo? 

Antes de fazer qualquer pré julgamento de quem quer que seja, olhemos para as nossas batalhas, lutas e conflitos diários, “E por que atentas tu no argueiro que está no olho de teu irmão, e não reparas na trave que está no teu próprio olho?”(Lc. 6.41); com certeza, o amor de cristo nos constrangerá e, caminharemos a passos mais largos rumo ao caráter e mente de Cristo. 

O que nos motiva e, mantém firmes para fazer da Palavra de Deus uma prática, é vida e comunhão com o Senhor. Somente através da intimidade com o Pai podemos ficar confiantes no cumprimento de suas promessas tais como: 

“E Jesus, respondendo, disse: Em verdade vos digo que ninguém há, que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou campos, por amor de mim e do evangelho, que não receba cem vezes tanto, já neste tempo, em casas, e irmãos, e irmãs, e mães, e filhos, e campos, com perseguições; e no século futuro a vida eterna”. Mc.10:29-30 

Por Litrazini