quinta-feira, 30 de maio de 2013

Um substituto para Judas


Necessário que escolhamos um dos homens que estiveram conosco [...]. É preciso que um deles seja conosco testemunha de sua ressurreição. Atos 1.21-22

Outro evento registrado entre a ascensão e o Pentecostes é a escolha de alguém para ocupar o lugar de Judas. Pedro levantou-se entre os irmãos e citou os salmos 69 e 109 como base bíblica para esse ato, especialmente o Salmo 109.8: “E outro ocupe o seu lugar”. É instrutivo notar as três qualificações para o que Pedro chamou de “este ministério apostólico” (At 1.25):

1. Deveria ser alguém indicado por Jesus.
Matias foi indicado não pela igreja, mas por Cristo, como os Doze haviam sido (Lc 6.13). De fato, os cento e vinte indicaram dois nomes e depois tiraram sortes. Esse era um método bastante comum no Antigo Testamento, mas que não foi mais usado depois do Pentecostes.

O mais importante, porém, é que eles buscaram a vontade de Deus através da oração, pois embora Jesus tivesse ido para o céu, ele ainda estava acessível por meio da oração, além disso, ele “conhecia o coração”. Assim, eles oraram “Mostra-nos qual destes dois tens escolhido” (At 1.24).

2. Deveria ser testemunha ocular do ministério de Jesus.
Marcos e João deixam claro que o motivo que levou Jesus a escolher os Doze foi para que eles “estivessem com ele” (Mc 3.14) e, como consequência, pudessem testificar a seu respeito (Jo 15.27). Pedro usa esse mesmo argumento: “É necessário que escolhamos um dos homens que estiveram conosco durante todo o tempo em que o Senhor Jesus viveu entre nós, desde o batismo de João até o dia em que Jesus foi elevado dentre nós às alturas” (At 1.21-22).

3. Deveria ser testemunha da ressurreição, ou seja, alguém que teve um encontro com o Jesus ressuscitado.
Foi isso que qualificou Paulo (1Co 9.1; 15.8-9). O substituto de Judas precisava ter visto o Senhor ressuscitado para que pudesse testemunhar de sua ressurreição, com os outros apóstolos (At 1.22).

O cenário agora está pronto para o dia de Pentecostes. Os apóstolos já receberam as instruções finais de Cristo e presenciaram sua ascensão.

O grupo apostólico estava completo novamente, pronto para testemunhar de Cristo. Só faltava uma coisa: a vinda do Espírito Santo. Matias ocupava o lugar que Judas havia deixado vago, mas o Espírito ainda não ocupava o lugar que Jesus havia deixado.

E naqueles dias, levantando-se Pedro no meio dos discípulos (ora a multidão junta era de quase cento e vinte pessoas) disse: Homens irmãos, convinha que se cumprisse a Escritura que o Espírito Santo predisse pela boca de Davi, acerca de Judas, que foi o guia daqueles que prenderam a Jesus;[...]  orando, disseram: Tu, Senhor, conhecedor dos corações de todos, mostra qual destes dois tens escolhido, Para que tome parte neste ministério e apostolado, de que Judas se desviou, para ir para o seu próprio lugar.E, lançando-lhes sortes, caiu a sorte sobre Matias. E por voto comum foi contado com os onze apóstolos. Atos 1.15-26

Retirado de A Biblia Toda o Ano Todo  (John Stott). Editora Ultimato. 2007.