quarta-feira, 1 de maio de 2013

Refutação ao vídeo "Revelações – Pastorocracia".


.

Uma importante refutação à um vídeo que está circulando na internet, cujo o autor tenta, sem sucesso, anular a liderança na igreja. Para tanto, ele distorce Hebreus 13:17, além de outros versículos. Primeiro segue o vídeo, logo após a refutação feita pelo Pr. Adriano Gama, confira!



Olá Senhores leitores,

Esse sr. do vídeo não conhece o grego bíblico. Ele está praticando erros básicos: isolando palavras, não vendo o contexto e nem vendo o uso delas na Escritura e na cultura da época. Note o seguinte:

A tradução do sr. do vídeo é: “Atentem (ouçam) aos notáveis (ou estimados) e não sejam arrogantes para com eles”. Para o autor desse vídeo só há um pastor, Jesus. os notáveis não são oficiais. São irmãos respeitáveis, experientes, testemunhas, pessoas com um carisma especial e um destaque especial entre os outros irmãos. Os notáveis não são chefes, líderes e guias ordenados como se entende hoje.

O sr. do vídeo diz que nós todos somos irmãos e somos chefiados por um único chefe, o único cabeça, Jesus Cristo. Continuando, ele afirma que a Escrituras não diz que devemos se submeter a homens. Segundo o vídeo, não há na Escritura do NT nenhum texto que diga que um homem tenha recebido a posição, o título de pastor. Essa posição somente é dada a Jesus Cristo.

Será que é bíblico o que o vídeo diz?

Vamos para o texto de Hebreus. De fato, a palavra grega em Hb 13.7,17,24 é hegoumenoi. Essa palavra não é pastor. Em verdade, a edição revista e corrigida traduz por “pastores”. Essa tradução é uma interpretação. Contudo, não é adulterar o texto traduzir a palavra grega “hegoumenoi” como "líderes" ou “guias” ordenados.

Por que não?

Primeiro quanto a palavra hegoumenoi (Hb 13.7,17,24). Essa palavra grega é um particípio do verbo “hegeomai”. Esse verbo pode ser traduzido por: conduzir pelo caminho; tomar a liderança, ser chefe, considerar, ter por, julgar. Agora, nos textos de Hebreus, o particípio tem um artigo que o antecede. Então, nesse caso, ele descreve uma pessoa que pratica uma ação ou que tem uma função. Qual ação ou função essa pessoa exerce?

Qual ação ou função essa pessoa exerce? A função de liderar, guiar, chefiar. Esse é o uso comum dessa palavra no NT. Alguns exemplos:

Jesus usou “hegnoumenoi” para classificar aqueles que governam. Ele falou "aquele que dirige" (hegnoumenoi) seja como o que serve (Lc 22.26). No Evangelho de Lucas os governantes, os líderes, oficiais romanos, eram descritos com um particípio de um verbo (hegenonéô - da mesma raiz da palavra de Hb 13.7,17,24): Quirino (Lc 2.2), Pôncio Pilatos (Lc 3.1).

A palavra grega usada em Hebreus foi usada em At 7.10. Para que essa palavra grega foi usada nessa passagem? Para descrever o ofício de José no Egito. Então, devemos pensar: José foi um notável, uma pessoa respeitável, ou um "governador" do Egito? Era qualquer pessoa sem ofício, ou, o oficial que dirigia a nação e foi chamado pai de Faraó? Repito, no texto de At 7.10 temos a mesma palavra de Hebreus 13.7,17,24 (em Hebreus está no plural). José tinha o ofício de governador (hegnoumenoi).

Em Atos, Lucas, diz que Paulo era o “principal portador da Palavra” (veja At 14.12). Qual palavra Lucas usa? A mesma de Hb 13-7,17,24. O apóstolo Paulo era o que "dirigia" ou "que presidia" a palavra, por isso, foi traduzido o principal portador (hegnoumenoi) da Palavra.

A mesma palavra grega também aparece em At 15.22 para dizer o que Judas Barsabás e Silas eram “notáveis” entre os irmãos. Essa é a única vez que “hegnoumenoi” é traduzida para o português como “notáveis”. Uma pergunta para o texto: Judas e Silas tinham algum ofício na igreja?

O irmão Judas tinha o ofício de profeta (At 15.32). Silas é o nome abreviado de Silvano. Este era profeta (At 15.32), pregador (2 Co 1.19), evangelista que acompanhou Paulo (At 18.5). O irmão Silvano ajudou Pedro a escrever a 1 carta de Pedro (1 Pe 5.12).

Os irmãos Judas e Silas eram “hegnoumenoi”. Não irmãos sem ofícios, mas líderes dentre os irmãos. Então, o contexto da passagem e os ofícios de Judas e Silas nos levam a concluir que “notáveis” se refere a líderes, guias, homens ordenados.

Poderia continuar citando para você outros exemplos bíblicos que mostram o erro desse senhor do vídeo. Agora, por economia de tempo, peço que você veja Mt 2.6.

O texto é uma profecia acerca de Jesus (Mq 5.2). Jesus é chamado de “Guia”. Essa é a mesma palavra de Hb 13.7,17,24.

Jesus foi profetizado como o "Guia”. O que esse Guia fará? O "Guia" irá apascentar (palavra de mesma raiz da palavra "pastor"). O Guia é o governador, o líder, o chefe. Esse governador apascentará a Igreja.

Os governadores, guias, chefes dos tempos bíblicos foram também considerados pastores. O Senhor chamou o rei Ciro seu pastor (Is 44.28). Ele também chamou os líderes de Israel de pastores (Ez 34). Por isso, não era estranho falar de um guia que vai pastorear Israel. Assim sendo, Jesus, o Guia, é quem pastoreará Israel.

Se formos dizer que “hegnoumenoi” deve somente ser traduzido como “notáveis”, então, como ficaria a tradução de Mt 2.6? Jesus é um notável, ou, o Guia, o Governador da Igreja? Por que para o sr. do vídeo somente há um significado para “hegnoumenoi”? De onde vem essa ideia que aquele texto de Hb 13.7,17,24 se refere aos irmãos não ordenados, mas somente àqueles possuidores de bom testemunho na igreja?

Portanto, pelo uso na Escritura da palavra grega e pelo uso dos verbos de mesma raiz, não é verdade que a palavra de Hebreus 13.7,17 foi adulterada pelos “governantes da religião (palavras do sr. do vídeo). A tradução “guias” e “líderes” cabe muito bem. Em verdade, é conforme o grego e o contexto da passagem de Hb 13. De fato, o texto se aplica aos oficiais ordenados da igreja.

O texto de Hebreus 13.7,17,24:

Não precisamos ir para o grego para mostrar que “guias” em Hb 13 se refere aos oficiais da igreja. O próprio texto português deixa isso claro (veja bem Hb 13.7,17,24).

Hb 13.7: Os guias foram os primeiros líderes que pregaram a Palavra aos irmãos. Eles que levaram o evangelho aos hebreus. Esses guias sofreram e até morreram pelo Evangelho. Esses lideres pregadores eram padrões dos irmãos em vida e fé.

O escritor de hebreus lembrou dos primeiros líderes para exortar a continuarem na doutrina e no bom procedimento que receberam deles. Os irmãos hebreus estavam tentados a seguirem falsos guias. Esses falsos guias estavam querendo desviar os crentes do evangelho (vs. 8-16). Depois de lembrar os primeiros líderes e dar essas exortações, então, o escritor de Hebreus dá um mandamento. Os crentes devem obedecer e serem submissos a seus novos líderes ou guias, “hegnoumenoi”.

No v. 17 esses guias não eram qualquer irmão notável, não ordenado (como diz o senhor do vídeo). Eram pessoas que tinham o dever de velar (vigiar) pelas vidas dos irmãos e que iriam prestar contas a Deus. Essa parte nos lembra Ez 3.17,18.

O profeta falou aos atalaias. Os atalaias eram oficiais com a tarefa de velar. Os atalaias prestariam contas das almas que foram colocadas debaixo do cuidado deles. Os guias da igreja hebreia tinham um ofício de supervisionar. Se eles não tinham ofício, então, por que eles teriam que prestar contas ao SENHOR? Outra coisa, se eles não tinham ofício, então, por que os membros deveriam “obedecer” (peithô) e serem “submissos a eles”?

O sr. do vídeo ameniza o dever dos crentes para com os líderes ordenados. Ele traduz a palavra grega como “atentem”, ou, “ouçam”. Não há problema nisso. O erro é que o sr. do vídeo distorce o significado e tira a força da palavra grega. Ele diz que ser atento é apenas “ouvir os seus conselhos”. Não é um mandamento aos crentes ouvir seus líderes. Cabe a cada um decidir se segue ou não segue os conselhos de seus irmãos [os notáveis]. Não é isso que o grego diz. O modo da palavra é um imperativo: “Obedecei, atentem, ou, ouça os vossos guias” não é um aconselhamento, mas um mandamento. Se o membro não obedece, ou, atenta ou ouve, então, ele quebra um mandamento da Palavra de Deus.

O texto diz também que os membros devem ser obedientes e submissos aos seus guias, para que os oficiais façam trabalho deles com alegria e não gemendo. Mais uma vez, vemos que há homens que devem ser seguidos e obedecidos, no Senhor. As ordens “sede obedientes” e “sede submissos” mostram que esses notáveis tem autoridade sobre os irmãos. Eles são guias, líderes, oficiais ordenados por Deus para supervisionar e dar contas a Deus pela igreja.

Ora, saliento que é contraditório ao texto o que se afirma no vídeo. Se é verdade o que o sr. do vídeo diz sobre o acatar ou não os conselhos dos notáveis, então, por que os crentes que fazem os “guias” gemerem no trabalho não terão proveito (alysitéles)? Em verdade, os desobedientes e insubmissos não lucram. Se os líderes gemem, então, para o culpado disso o resultado é desastroso. Isso é o que o texto grego nos diz.

Escrevi até este ponto para mostrar a você que o próprio contexto e o texto revelam que esse vídeo não respeita o ensino da Escritura, não conhece o grego, nem as regras básicas de interpretação da Escritura (hermenêutica) e da lógica. Esse homem torce a Escritura e não é honesto na argumentação.

Agora, aconselho você a parar de ouvir as mentiras propagadas nos vídeos desse homem e de seus cooperadores. Fique e se encha com o ensino da Escritura.

A Escritura mostra que desde o Antigo Testamento Deus ordenou homens para governarem a Sua igreja. Não vou falar dos patriarcas, nem Moisés, nem dos sumo sacerdotes, nem dos reis. Somente vamos notar os presbíteros (anciãos).

Veja algumas passagens. Elas mostram que havia o governo por meio de presbíteros já no AT. Por exemplo:

Êx 3.16 – Deus mandou Moisés falar aos anciãos do povo (ver também Lv 4.15; Nm 11.16.
Jz 11.5 – Durante o tempo dos juízes haviam os anciãos que governavam as tribos (anciãos de Gileade).
Jz 8.14 – mostra que havia também os anciãos da cidade. Havia os principais e anciãos em Sucote. No AT vemos que o termo “ancião” foi usado com ou em lugar de um título oficial, por exemplo: Js 24.1; 1 Reis 8.1; Ed 10.8). Esses oficiais eram eleitos pelo povo Dt 1.13-16.

Nos tempos de Jesus Cristo aprendemos que havia o sinédrio. O sinédrio era maior corte em Israel e era composto por 70 anciãos. Dentre eles estava o sumo sacerdote.

No Novo Testamento o povo de Deus continuou a ser governado por presbíteros (1 Tm 5.17).

O apóstolo Paulo e Barnabé instituíram, conforme Dt 1.13-16, eleições de presbíteros nas igrejas (At 14.23). O povo escolheu os seus presbíteros. O apóstolo Paulo deixando Tito em Creta para promover a eleição de presbíteros (Tt 1.5).

Na igreja em Jerusalém vemos os presbíteros junto com os apóstolos tomando decisões importantes para as outras igrejas (At 15.1-3,6,22; 16.4). Essas decisões deveriam ser seguidas. Não eram conselhos.

O Apóstolo Paulo, em Atos 20.17,28, diz o que são os presbíteros. Eles são homens constituídos pelo Espírito Santo. Eles deveriam supervisionar e pastorear a igreja de Deus. Foi o Espírito Santo quem ordenou os presbíteros sobre a igreja.

O Apóstolo Pedro exorta os presbíteros a desempenharem bem o ofício deles (1 Pe 5.1-4). Os presbíteros tem uma posição de autoridade dada por Deus. Eles receberam um oficio. A igreja foi colocada aos cuidados deles (aqueles que vos foram confiados).

Os presbíteros devem pastorear bem a igreja. Eles prestarão contas ao Supremo Pastor, Cristo Jesus, e receberão dEle a recompensa pelo trabalho fiel na congregação. Em verdade, Jesus é o único Supremo Pastor e Bispo da Igreja. Mas, Ele ordenou presbíteros para serem seus pastores subalternos.

Concluindo este breve estudo:

O vídeo está certo em dizer que Jesus é nosso Supremo Pastor e Bispo. Isso é verdade. Contudo, Jesus concedeu ministros da Palavra, presbíteros e diáconos à igreja. Eles devem conduzir a igreja conforme a Palavra de Cristo e não por suas ideias. Eles prestarão contas a Deus (1 Co 3.10-17).

De fato, não há um governo onde um homem domina sobre outros homens. O governo presbiterial é revelado na Escritura. O governo na Igreja, especialmente, para na igreja do NT é exercido por um colégio de presbíteros. Estes, junto com os ministros da palavra, governam a igreja de Cristo.

Entretanto, o vídeo nega a Escritura dizendo que não há oficiais que governam a igreja e a quem devemos submissão, no Senhor. Jesus Cristo estabeleceu homens para governarem, cuidarem e edificarem a igreja (Ef 4.11ss; 1 Ts 5.12,13; 1 Co 16.15,16; 1 Tm 5.17; Tt 2.15). O SENHOR Deus revelou os requisitos para uma pessoa ser eleito um presbítero ou diácono. O apóstolo Paulo escreveu esses requisitos a Timóteo e a Tito (1 Tm 3.1-13 e Tt 1.5-9).

Portanto, espero, no Senhor, que você verifique o que tenho escrito nesses posts. Não deixe o diabo lhe enganar com mentiras tão grosseiras como estas faladas nesse vídeo. Não se prenda nas difamações, mas nos textos da Escritura. Compare a Escritura com o que é dito no vídeo.

Se você deseja, conforme a Escritura, aprender sobre o governo eclesiástico (da igreja) adquira:

A Igreja Apostólica - Que Significa? Ed. Os Puritanos. Autor: Thomas Witherow.

__________________________
Autor: Pr. Adriano Gama
Divulgação: Bereianos